PF faz operação contra empresários que defenderam golpe se Lula vencer

8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1

A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça (23) mandados de busca contra empresários que em um grupo de mensagens defenderam um golpe de Estado caso o ex-presidente Lula (PT) vença Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais. (Via Folha de S. Paulo)

Além das buscas, o ministro Alexandre de Moraes também autorizou que os empresários sejam ouvidos pela PF.

Entre os alvos estão Luciano Hang, da Havan, José Isaac Peres, da rede de shopping Multiplan, Ivan Wrobel, da Construtora W3, José Koury, do Barra World Shopping, André Tissot, do Grupo Serra, Meyer Nigri, da Tecnisa, Marco Aurélio Raimundo, da Mormai, e Afrânio Barreira, do Grupo Coco Bambu.

xO presidente Jair Bolsonaro posta em suas redes sociais foto com o empresário Luciano Hang
O presidente Jair Bolsonaro posta em suas redes sociais foto com o empresário Luciano Hang – @jairbolsonaro no Twitter

As conversas foram reveladas pelo site Metrópole. As buscas foram autorizadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

EMPRESÁRIOS NEGARAM INTENÇÃO GOLPISTA

Após a divulgação das mensagens que defendiam golpe, Luciano Hang, dono da Havan, confirmou à Folha que integra o grupo, mas disse que quase nunca se manifesta e em momento algum falou sobre os Poderes.

“Vejo que meu nome vende jornal e gera cliques. Me envolvem em toda polêmica possível, mesmo eu não tendo nada a ver com a história”, disse Hang à Folha. “Sou pela democracia, liberdade, ordem e progresso.”