Obstáculos superados explicam a liderança de João nas pesquisas

O governador João Azevedo vem se confirmando como favorito nas pesquisas de intenção de voto até agora divulgadas, o que não causa estranheza diante do cenário de dificuldades que a pandemia criou possibilitando um gestor sintonizado as chances de intervenções com repercussão positiva junto ao eleitorado.

João vem se distribuindo no estado

João não estranhou a máquina que vem pilotando desde antes assumir o manche já que, o principal artífice de projetos que transformaram a paisagem estadual principalmente nas regiões mais carentes historicamente esquecidas e que passaram ser incluídas depois que essa mentalidade de distribuição isonômica da riqueza estadual passou imperar.

Ao ser afetado pela pandemia, João não hesitou tomar as medidas sanitárias exigidas pelas organizações de saúde mesmo tendo de enfrentar o obscurantismo de uma oposição desvairada que pregava a defesa do lucro em vez da vida.

Atendendo a todos sem distinção

Os decretos relativos ao isolamento social renderam críticas cáusticas e exacerbadas, mas não demoveram o governador, que não recuou diante do clamor dos setores mais radicais.

Em seguida, iniciou ações administrativas visando à retomada da economia e investiu quase 500 milhões de reais em setores como infraestrutura onde a recuperação de rodovias e outras obras garantiram emprego e renda.

João não solta a mão de ninguém

Mas a grande sacada de João foram os programas sociais como Tá na Mesa, onde garantiu comida para quem não tinha o que comer e ativou toda a cadeia produtiva relacionada à agricultura e ao setor de serviços.

Esse esforço e planejamento garantiram uma aprovação em patamares que alcançam os 80% e que, agora se refletem nas pesquisas.

Na mesma intensidade o programa de perdão do IPVA de motos beneficiando uma enorme parcela da população que usa o transporte como instrumento de trabalho.

Esses são os frutos da gestão que fazem João aparecer disparado na preferência do eleitor com tendência de ampliação haja vista o grande percentual de eleitor (60%) que ainda não se manifestou, mas que deve se manifestar à medida que se aproxime a eleição e à medida que se ampliem os programas governamentais.