Justiça suspeita mostra Eliana Calmon mais atual do que nunca

Um depoimento estarrecedor da ministra aposentada Eliana Calmon, dado alguns anos atrás, quando corregedora, torna-se atual diante das falhas, que seriam reincidentes no comportamento de juízes brasileiros, que se julgam acima das leis que aplicam.

Conhecida pelo rigor, a ministra abalou o mundo jurídico quando afirmou existirem juízes bandidos no Brasil e que seria quase impossível puni-los diante da muralha de proteção que o espírito de corpo constrói.

Não foram poucos os episódios onde a ministra disparou contra essa mentalidade de blindagem que o judiciário criou para proteger seus membros dos desmandos que promovem para estarrecimento do cidadão comum.

Aqui na Paraíba, um escândalo monumental expôs essa chaga e a Calvário revelou o clima de promiscuidade que integrantes da quadrilha desbaratada mantinham com juízes paraibanos sem que esses até hoje tenham sido chamados explicar essas relações tenebrosas.

As investigações também revelaram um esquema azeitado para perseguir, constranger e intimidar jornalistas que contava com a cumplicidade de juízes suspeitos de desrespeitarem a liberdade de imprensa e de expressão para atender interesses escusos do grupo criminoso.

As declarações da ministra revelam um mundo de privilégios e de desrespeito às leis que regem o cidadão comum, mas que jamais alcançariam magistrados.

Diante dos muitos absurdos que a Operação Calvário escancarou a parcialidade e cumplicidade de juízes seriam os mais tenebrosos, revelando o que os investigadores constataram: ser a Paraíba um estado submetido ao crime organizado, o que até hoje não foi devidamente elucidado e seus personagens permanecem impunes.

O vídeo abaixo revela um mundo sombrio e absurdo: