Complexo Hospitalar de Patos completa ciclo de 150 dias atuando como referência para casos de Covid-19 com excelentes resultados

Essa sexta-feira (14) não é um dia qualquer, pois ela simboliza um marco para quem trabalha no Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos. Isto porque, nesta data, a unidade completa um ciclo de 150 dias, ininterruptos, de atendimento aos pacientes sintomáticos respiratórios com suspeita ou confirmação de Covid-19. E nesse período, a unidade registrou mais de 1000 atendimentos, com 493 internações e comemora o êxito do tratamento na grande maioria dos casos, ou seja, com 359 altas médicas. Outros 22 pacientes se encontram, neste dia 14, internados no setor de isolamento para coronavírus, sendo oito em leitos de enfermarias e 14 na UTI Covid. Infelizmente, neste período, houve o registro de 112 mortes.

O intensivista do setor Covid do Complexo, Dr. Pedro Augusto, que ao longo destes 150 dias esteve à frente dos atendimentos no setor de isolamento junto com uma equipe multidisciplinar composta por outros médicos, enfermeiros, técnicos, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, recepcionistas, pessoal da manutenção e limpeza, reforça o que significa completar esse ciclo de cinco meses de assistência aos pacientes do setor Covid. “Foi e continua sendo um desafio cotidiano estar na linha de frente de combate a pandemia, mas, é gratificante e animador ver que a grande maioria de nossos pacientes conseguiu superar a doença e voltar para casa. A dedicação e esforço de nossa equipe, cada um com sua competência, ofertou um serviço eficaz e humanizado que fez toda a diferença para esses bons resultados”, destaca Dr. Pedro.

O médico lembra também que essa doença ainda assusta por ser algo novo, porque há variações de evolução de quadro, em diferentes faixas etárias. Além de ser uma enfermidade para a qual ainda não se tem antídoto específico que a combata, que evolui muitas vezes de forma bastante rápida e que deixa as pessoas em total isolamento. “Não é fácil lidar com tudo isso, mas estamos enfrentando essa pandemia com muita coragem e força de vontade. É muito difícil ver um paciente morrendo mesmo tendo utilizado todos os recursos da Medicina disponíveis para ajudá-lo, mas ao olhar para trás e fazer um balanço destes 150 dias, constatamos que preservamos muito mais vidas que perdemos para a doença”, diz Dr. Pedro.

A diretora geral do Complexo, Liliane Sena, lembra que a admissão e alta de pacientes numa unidade de saúde é sempre um acontecimento cotidiano, mas, reitera que as altas do setor de Covid têm um sabor de superação mais que especial. “Essa pandemia que não é uma questão isolada, nem local, nem nacional, é mundial, mexe especialmente com todos os profissionais que, direta ou indiretamente, atuam numa unidade de saúde e como estamos lidando com uma doença nova, que pouco se conhece, que sequer tem uma vacina ou remédio específico, cujos protocolos praticamente foram sendo elaborados a medida em que a doença se manifestou, que evoluiu de maneira diversificada, quando um paciente do isolamento Covid tem alta, isso simboliza que todos os esforços valeram a pena e que aquela cura não é somente do paciente que está voltando para seu lar, é de todos nós, por isso, as altas de Covid nos tocam de maneira ainda mais especial. Constatar que nestes cinco meses conseguimos êxito no tratamento de 359 pacientes, de 493 que estiveram internados em nossa unidade, nos dá a certeza de termos feito a diferença na vida destas pessoas e isso muito nos alegra”, argumenta a diretora.