Secretário manda instaurar IPM para apurar se fuzil foi roubado ou alugado para facções criminosas

Dos males o menor: Depois de supostamente insuflar ataques violentos e apócrifos ao editor do portal Jampanews, em grupos de militares, o comandante do Primeiro Batalhão, tenente-coronel Lucas – o mais mimado dos pupilos do comandante geral, destacado aluno da escola aprimorada ao longo desses oito anos de subalterna postura ao esquema organizado e implantado pelo ex-governador Ricardo Coutinho no Estado posteriormente apontado pelas autoridades judiciárias como criminoso – cumpriu determinação para abertura de IPM com objetivo de apurar as circunstâncias espetaculares do desparecimento de uma arma de guerra que estaria no interior de uma viatura estacionada no pátio do batalhão.

Arma semelhante a essa sumiu nas barbas do comandante

 

O fato de uma arma desse calibre sumir de dentro de um quartel em qualquer Governo de qualquer local do mundo teria gerado consequências gravíssimas, inclusive com exonerações de cargos e punições severas, o que não ocorreu na Paraíba ainda de Ricardo Coutinho – em muitos aspectos – principalmente os que envolvem a Segurança Pública ainda remanso do esquema desbaratado haja vista acontecimentos como esse, e de reações que repetem os métodos truculentos que sempre caracterizaram o ex-governador, acostumado ameaçar e intimidar quem se insurge contra ele e sua organização tida agora como criminosa pelas autoridades do Gaeco.

A Justiça conseguiu afastar boa parte da quadrilha que ajudava Ricardo surrupiar o dinheiro público como ficou evidenciado por gravações arrasadoras mostrando o governador dividindo o botim.

Porém, um núcleo de incrível resistência e de reconhecido prestígio ainda sobrevive nas entranhas da máquina administrativa atuando acintosamente como pode ser percebido em episódios como o do desaparecimento do fuzil recuperado de forma canhestra e repleta de suspeitas que deverão ser apuradas no IPM instaurado e conduzido por um oficial de reconhecida probidade, mas de limitada autonomia, já que conclui um curso superior e comparece apenas uma vez por semana ao quartel, o que pode levar a exaustão o desfecho das investigações sobre e como o fuzil foi parar nas mãos de traficantes, exibido em aparatosos desfiles, na garupa de motos pelas vielas da favela Saturnino de Brito.

Fuzil saiu desse pátio direto para a favela Saturnino de Brito

O IPM deve esclarecer suspeitas que rondam o gabinete do secretário Jean Nunes, desconfiado que o fuzil não sumiu do quartel e poderia ter sido emprestado ou mais grave ainda: alugado, o que, se confirmado pelo IPM, revelaria um balcão de negócios no interior do aparelho policial evidenciando o grau de dissolução que teria alcançado certos setores do estado onde a aproximação e a convivência com a criminalidade tornou-se banal e extremamente perigosa para a sociedade  já que o exemplo dado pelos mandarins chegou à base do sistema expondo uma promiscuidade que engoliu a disciplina e a hierarquia.

Na trilha do padrinho, Lucas cultiva amizades políticas e comparece e é festejado nas convenções partidárias

O IPM está em andamento e já é algo de positivo e mais ainda por se encontrar em mãos de oficial reconhecidamente probo, apesar das limitações de tempo, impostas pelo curso de medicina que faz.

Mas, todos acreditam que essas suspeitas serão varridas e as desconfianças que atormentam o secretário Jean Nunes, dirimidas, concluindo que, o fuzil de fato tenha sido roubado, apesar do estranho desfecho, onde um apenado compareceu acompanhado do advogado prestou seu depoimento  deu “bye bye, volto já”,  e as celas continuaram desocupadas como se não tivesse acontecido nada reforçando ainda mais o clima de desconfianças quanto aos reais motivos que resultaram em tão grave e desmoralizante episódio, provando que já passou da hora de se promover mudanças na corporação, exaurida e contaminada pela convivência estreita e alongada com uma organização criminosa que teria praticado as mais diversas modalidades de crime.

Para sossego do secretário Jean Nunes e da sociedade como um todo é aconselhável que o IPM tenha desfecho.