Rastros de emissários de Aras pelos Gabinetes do Ódio na PB revelam que fake News tinham o propósito de comprometer João Azevedo

Não precisa ser nenhum Sherlock Holmes para enxergar as pretensões que se avolumavam por detrás da enxurrada de fake News produzidas para queimar o governador João Azevedo junto a Procuradoria Geral da República e gerar as ações que Augusto Aras almeja para dar ensejo a perseguição mesquinha que o Gabinete do Ódio tramava ou trama contra aqueles agentes que resolveram enfrentar a pandemia, seguindo a orientação da OMS e dos cientistas comprometidos com a Medicina e a Vida.

Eles jogam no mesmo time

Algumas pistas apontam para a trama diabólica que pretendia encurralar governadores de Estado particularmente aqueles que se empenharam na luta para conter a pandemia e empregaram recursos na compra de equipamentos, contrariando as visíveis intenções do Capitão de promover uma reforma na Previdência eliminando idosos, os mais atingidos pelo coronavírus.

Uma passagem discreta, mas tenebrosa, deixou rastros em direção ao gabinete do ódio e assanhou as víboras refugiadas nesses covis. Um dos mais prestigiados assessores do Procurador Geral da República, Augusto Aras, o ex-Secretário de Segurança do Governo Cássio Cunha Lima, Eitel Santiago, esteve na Paraíba e teria mantido contato com um dos mais eficientes produtores de fake News do Estado, o deputado reacionário Virgolino Lampião, conhecido por suas estreitas ligações com os filhos do presidente Bolsonaro e pela enxurrada de notícias infundadas, disparadas contra a gestão de João Azevedo.

Walber dispara a toa contra o Governo do Estado

Não bastante a passagem do procurador Eitel Santigo por esses redutos da difamação e da calúnia, outros sintomas podem ser medidos como as manifestações de rigor e zelo público de determinados conselheiros, alvos de operações da Policia Federal, que passaram apontar irregularidades nas contas do Governo do Estado e apenas nas contas do Governo do Estado como se ainda houvesse lisura naquela corte para julgar quem quer que seja.

O coro estava montado e o alarido provocado, ressoando em certa mídia atrelada ao que tem de mais suspeito na política paraibana desde os tempos de Eduardo Cunha.

Citado na Operação Xeque-Mate, Catão resolveu ser a palmatória do Mundo em relação às contas do Governo de João

Por tudo isso, não precisa chamar o lendário investigador inglês nem o seu inseparável parceiro, Watson, para identificar que, se o Governo, através da Secretaria de Comunicação, não tivesse contra-atacado com vigor, as mentiras e calunias, apresentando a necessária e devastadora documentação, o cadafalso estaria armado para cortar a cabeça do governador com a caneta adestrada da Procuradoria Geral.

Esses defensores da eugenia, posta em prática nas ações covardes do Governo Federal, torcendo e trabalhando para imprimir uma reformar previdenciária através do extermínio de idosos, não relutam em difamar e atacar com mentiras e calúnias, quem se atrever adotar as medidas sanitárias que o mundo civilizado vem imprimindo para conter a pandemia.

Em pleno século XXI, depois das amargas e dolorosas experiências com o fascismo e o nazismo, o fanatismo politico volta ameaçar a democracia de forma acintosa e despudorada na versão abominável de um grupo de desmiolados e imorais, encastelados no poder por manobras, as mais sórdidas e mais abjetas, em incansável peleja para destruir as instituições nacionais.