Coronavírus: situação se agrava em JP e prefeitura prorroga isolamento

As medidas de isolamento social em João Pessoa foram prorrogadas por mais 15 dias, conforme anunciado nesta quinta-feira (30) em entrevista coletiva pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV). O isolamento terminaria no próximo dia 3 de maio e ocorre para reduzir os riscos de contágio do novo coronavírus, causador da Covid-19. A cidade está com serviços não essenciais paralisados desde a segunda metade de março.Com isso, o comércio segue temporariamente fechado, a exemplo de shoppings, cinemas, academias, salões de beleza, bares e restaurantes. Apenas os serviços essenciais ficam abertos. As aulas na rede municipal de ensino estão suspensas por mais 15 dias, assim como o funcionamento do transporte público na capital paraibana, que vai permanecer ofertando linhas exclusivas somente para profissionais de Saúde.

O decreto recomenda ainda que a população faça uso de máscaras sempre que sair de casa, como mais uma medida preventiva a ser adotada. Haverá a obrigatoriedade do uso do equipamento de proteção para quem trabalha em estabelecimentos. A exemplo do anterior, o novo decreto também prevê fiscalização nos mercados, determinando o controle de acesso a uma pessoa da família por vez, salvo em condições especiais. Bancos e lotéricas devem cumprir medidas de proteção aos funcionários e clientes, mantendo a distância de 1,5 metro entre as pessoas.

“Maio será muito mais difícil, como foi em março e abril, com crescimento muito grande de casos confirmados e mortes”, disse o prefeito, que tomou por base o crescente número de casos de coronavírus na Capital. Veja aqui o documento com gráficos. “A quantidade de mortes seria 6 vezes maior se não tivesse o isolamento”, disse Cartaxo.

No último domingo (26), a taxa de isolamento em João Pessoa chegou a 56%, percentual bem abaixo dos 70% recomendados pelos órgãos de Saúde. Os bairros de Manaíra, Mangabeira e Cristo são os que têm mais casos confirmados de coronavírus na cidade.

Isolamento e projeções
Com 499 casos registrados na capital paraibana, até a manha desta quinta-feira (30), as projeções realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) indicam que os números poderiam ser muito maiores se as medidas de isolamento social não tivessem sido adotadas pela Prefeitura de João Pessoa antes do registro dos primeiros casos.Até esta quinta (30), morreram 32 pessoas na cidade vítimas da Covid-19, mas este número seria mais de seis vezes maior se a cidade não tivesse em isolamento. A necessidade por leitos de UTI também cresceria 139%, sobrecarregando a rede hospitalar que, até o momento, vem se preparando e tendo capacidade assistencial superior à demanda, tanto nos leitos de UTI como de enfermaria.

Rede de saúde em João Pessoa
Com a ampliação de mais 10 novos leitos de UTI que entram em funcionamento a partir de hoje no Hospital Santa Isabel, a cidade de João Pessoa conta com uma rede formada por 128 leitos para atendimento ao novo Coronavírus.

Além de outras ampliações previstas na rede hospitalar, o número de leitos para atendimento à Covid-19 deve crescer ainda mais com a entrega do Hospital ProntoVida. As obras físicas serão concluídas até o dia 5 de maio e no dia 11 os primeiros leitos já estarão à disposição da rede para receber pacientes. Na nova unidade hospitalar, serão 82 leitos de enfermaria e 32 leitos de UTI, totalizando mais 114 leitos.

Coronavírus no estado
Mais 115 casos do novo coronavírus foram confirmados na Paraíba em 24 horas, uma alta de 16,4% em relação ao dia anterior, maior aumento identificado em apenas um dia desde o primeiro caso registrado no estado em 18 de março deste ano. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a Paraíba tinha nessa quarta-feira (29) 814 casos da Covid-19, doença causada pelo novo vírus, com 62 mortes, cinco a mais que no dia anterior.

Resumo da situação na PB
Confirmados: 814 (eram 699) (152 curados, 458 em casa, 142 internados, 62 mortos)
Descartados: 1.616 (eram 1.531)
Cidades: 49 (eram 44)