A realidade das ruas mostra que a violência na PB foi camuflada por oito anos, e os incompetentes, pasmem, ainda continuam nos cargos

O Governo de João Azevedo corre o risco de ser cada vez mais identificado com o do antecessor pela permanência de figuras de destaque da gestão passada que se acostumaram falsear a realidade a partir das estatísticas, tonando mais do que atual um livro que fez e faz sucesso no mundo das ciências exatas, que vem a ser “Como Mentir com Estatística” do americano Darrel Huff, livro de cabeceira do papa da informática, Bill Gattes.

Nunca mais, eles divulgaram nada sobre homicídios

Por oito longos anos, o Governo de Ricardo Coutinho comemorou espalhafatosamente a redução de uma violência que insistia explodir nas ruas, abalando a credibilidade dos dados divulgados, sempre em confronto com a brutalidade cotidiana das cidades paraibanas, algumas delas, destaque nos rankings de violência no planeta.

O livro, um sucesso editorial escrito na década de 50, mostra com refinada ironia como dados matematicamente corretos podem falsear o resultado de levantamentos estatísticos, atendendo a interesses múltiplos, alguns solertes e abjetos.

Caiu a lona e os homicídios dispararam em 2020

E nunca esse livro de cabeceira de Gattes foi tão atual como no período que pontificou o Mago das estripulias com o dinheiro público, festejando uma redução da violência que Darrel Huff classificou “Como Mentir com Estatística” para enganar os trouxas.

Essa artimanha promoveu e destacou muita gente incompetente que se não estivesse engajada nos propósitos sórdidos de um esquema político posteriormente identificado como criminoso, jamais teria saído de sua ululante mediocridade para ocupar cargos de relevância no aparelho policial, onde ainda permanece apesar de toda eficiência desmascarada, revelando a face da hipocrisia envergando farda.

Ainda tem entulhos para João remover

Nunca jamais houve eficiência no combate a violência no Estado e ela permanece ativa destruindo vidas notadamente nas faixas mais jovens da população mais pobre sob o manto da incompetência estridente cujo barulho encobriu essa tragédia social por todo esse tempo de obscurantismo socialista, onde a verdade era perseguida sadicamente.

Mas, como a verdade surge quando menos se espera, eis que ela resplandece em furo de reportagem – já não tão comum no jornalismo moderno, mas que ainda distingue os bons profissionais como Marcelo José, que torna público a realidade cruel desse estado mostrando com números, que os homicídios continuam disparados na Paraíba.

A realidade cruel das ruas paraibanas

A reportagem aumentou o silêncio de três meses de um Governo que se pretende sério e cujo mandatário maior goza realmente de credibilidade pelo histórico de honradez pessoal, mas que ainda não conseguiu remover os protagonistas dessa realidade vertida em sangue e que macula as melhores tradições de estado pacifico e ordeiro.

Já não se admite, sob nenhuma hipótese, que protagonistas de uma organização criminosa se mantenham em cargos de relevância na administração pública pelas implicações que tiveram com o crime organizado seja pela cumplicidade, pela conivência e até mesmo pela
omissão ou incompetência.

Vade Retro, Satanás!

Segue Marcelo José:

PANDEMIA DE HOMICÍDIOS – Governo da Paraíba esconde números do aumento da violência e que 313 pessoas foram assassinadas violentamente só este ano

Ano passado o Governo do Estado da Paraíba estampou no portal oficial e distribuiu para toda mídia convencional, além de sites e blogs matéria comemorando a redução dos números de homicídio.

Este ano de 2020 o Governo da Paraíba escondeu os números da violência e o fato de que 266 pessoas foram assassinadas violentamente nos 3 primeiros meses. Se considerar até o dia 13 de abril já são 313 pessoas assassinadas.

A verdade nua e crua

Comparando o número de pessoas assassinadas na Paraíba em 2020 (266) com os 3 primeiros meses de 2019 ( 237 assassinatos) constatamos o aumento de 16%.

Para as estatísticas são os ( CVLI) – Crimes Violentos Letais Intencionais – .

Ninguém viu em lugar algum qualquer publicação do Estado sobre os números de pessoas assassinadas. Nem o Governo divulgou nem a imprensa cobrou.

O Blog já divulgou que os números de pessoas assassinadas na Paraíba aumentaram nos meses de janeiro e fevereiro. E agora traz os números de março que mostram que continua subindo o número de assassinatos no estado.

Uma fonte da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Paraíba revelou ao Blog estatísticas de pessoas assassinadas na Paraíba desde o mês de janeiro, o que não foi questionado nem negado pelo Governo.

Com a pandemia do coronavírus o Governo da Paraíba intencionalmente esquece da pandemia da violência.