Cássio lamenta morosidade da Justiça e pede celeridade no julgamento da Operação Calvário

O ex-governador Cássio Cunha Lima manifestou-se sobre a decisão do TSE que condenou Ricardo por abuso de poder nas eleições de 2014. Para Cássio não há o que se comemorar porque “Justiça tardia não é Justiça”, numa referência ao espaço de tempo que se levou para se chegar a decisão que, se tomada em tempo hábil podia ter lhe assegurado o terceiro mandato.

Cássio subtraiu dois anos do mandato de Zé

 

Cássio deu declarações pesadas em nota distribuída na madrugada desta quarta-feira(11) ao dizer que a Justiça foi morosa e não evitou que a quadrilha desbaratada pela Operação Calvário saqueasse o Estado e ainda levantou suspeitas sobre a lisura das eleições de 2018 insinuando que os métodos de 2014 podem ter sido usados em 2018, o que trás para dentro do mundo de suspeitas a eleição do governador João Azevedo.

Porém, ao criticar a decisão do TSE, Cássio esquece que ganhou dois anos do mandato de José Maranhão nas eleições de 2006, quando também foi cassado por abuso de poder econômico.