Surtos psicóticos acometem as principais celebridades da Operação Calvário

Um caso de esquizofrenia coletiva parece ter se alastrado pela organização criminosa supostamente chefiada pelo ex-governador Ricardo Coutinho.

A manifestação psicótica teria começado exatamente pelo poderoso chefão em live que reuniu apenas 201 pessoas, a maioria escarnecendo de suas alegações delirantes, que enxerga espiões ao redor com a missão de produzir inverdades sobre sua imagem de homem público, devastada por essa perseguição torpe que seus inimigos engendraram com o objetivo de destruí-lo politicamente.

Eles estariam viajando na maionese

No mesmo diapasão a sua versão feminina, uma espécie de cover político de saia, que reproduziu em seus perfis nas redes sociais, os s sintomas de demência, onde alucinações psicóticas mostrariam potes de ouro, que os ganancioso e invejosos adversários de sua administração almejariam botar a mão.

Márcia Lucena embarcou na viagem que celebrizou a música de John Lennon – Lucy In The Sky With Diamonds – onde na sua versão ainda mais delirante trocou os diamantes de Lucy por um pote de ouro almejado por seus adversários, mas que ela parece ter encontrado quando participou do assalto aos cofres estaduais de onde foram surrupiados mais de 130 milhões de reais.

Não deixa de ser preocupante esses delírios e alucinações das principais personagens da Operação Calvário, que sugerem a substituição das tornozeleiras por espaços mais adequados em manicômios judiciários.

 

SURTOU DE VEZ? Prefeita do Conde insinua que querem aniquilar, prender e até matar pelo poder

Em publicação nas suas redes sociais a prefeita da cidade de Conde, Márcia Lucena voltou a atacar seus inimigos imaginários. Em mais um dos delírios de sua alma, Márcia disse que “tem muita gente desesperada querendo, de todo jeito, tomar de volta um pote de ouro que está aos poucos voltando para as mãos da população”.

Com delírios filosóficos resultantes, talvez das constantes pressões que tem sofrido, a gestora falou sobre um pote de ouro, talvez numa lembrança de uma flauta de ouro que causou escândalo na Paraíba no passado.

O mais grave nos delírios de Márcia foi a insinuação de que “queiram aniquilar, prender e até matar quem está impedindo esse fluxo tão enraizado por práticas ilícitas de tantos anos”.

Em seus delírios Márcia insinua corrupção por parte de outros, mas esquece que é investigada como líder do maior escândalo de corrupção da história desse estado. Esquece que está com uma tornozeleira e cheia de proibições. Ao falar de ganância, tiro e bomba, ela esquece que seu líder maior é investigado sob acusação de ter ordenado a morte de Bruno Ernesto.

Alguém avise a Márcia que já está ridículo esse comportamento. A postura delirante da prefeita de Ricardo está manchando ainda mais o nome da cidade.