Novembro Negro tem programação cultural e oficinas afro-brasileiras

A Paraíba terá programação cultural e ações de formação e educativas durante todo este mês, quando se comemora o Novembro Negro, em alusão ao dia da Consciência Negra (20). O Governo do Estado lançou a programação, por meio da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh) e a Fundação Espaço Cultural (Funesc).

Dentre as novidades, o Centro Estadual de Referência da Igualdade Racial João Balula, coordenado pela Semdh, lança o projeto ‘Terças Negras’, na próxima terça-feira (9), às 8h30, com oficinas temáticas que englobam a cultura afro-brasileira. Os interessados poderão se inscrever por meio do link: https://bit.ly/TercasNegras . Os inscritos poderão participar todas as terças-feiras de uma série de experiências como a utilização de ervas medicinais, confecção de biojoias, saúde, dança afro e autocuidado, turbante e trança e um chá com poesias.

A Funesc também divulgou a programação especial com painéis temáticos na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, que ocorrerão a partir do dia 16 de novembro. A abertura será às 18h, com o tema ‘Enfrentamento ao racismo na efetivação da política de igualdade racial da Paraíba’, mediado pela técnica da Gerência de Igualdade Racial da Semdh, Rafaela Carneiro, com a gerente de Igualdade Racial da Semdh, Leandra Cardoso e as convidadas, Ângela Pereira e Aline Mota.

“O Novembro Negro é um reflexo da resistência que estamos vivendo atualmente. Neste ano, estamos trabalhando com oficinas temáticas no Centro Racial João Balula, formações internas, educativas e com ações de divulgação nas redes sociais de enfrentamento ao racismo”, afirma a secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura.

A Funesc também terá feira de artesanato e gastronomia (dia 18, das 17 às 22h), sessão Cinema Negro, Leituras Pretas e shows que começam no dia 17, às 20h com as repentistas Santinha Maurício (PE) e Minervina Ferreira (PB), homenageando Chica Barrosa e Inácio Catingueira. O evento será na sala de Concertos Maestro José Siqueira.

No dia da Consciência Negra, o evento da Noite da música negra paraibana vai envolver 14 intérpretes negros/negras. À noite, às 20h, será apresentado o espetáculo Auto dos Orixás, do Ateliê Multicultural Elioenai Gomes, que conta com apoio do governo do Estado, por meio da Semdh.

As atividades de formação sobre enfrentamento do racismo estrutural serão voltadas para professores de rede pública e profissionais dos serviços da Semdh, como Casa Abrigo Aryane Thais.

Racismo – O racismo, muitas vezes, aparece de forma subjetiva. Para a gerente da Igualdade Racial da Semdh, Leandra Cardoso, “é necessário prestar atenção nas várias formas em que ele se apresenta. Por isso é importante que a população negra se reconheça, se afirme e se empodere para identificar e denunciar o racismo”, declara. Um dos serviços destinados à população negra foi a implantação do Centro da Igualdade Racial João Balula. Os casos são registrados e encaminhados para a Delegacia Especializada em Crimes Homofóbicos, Racismo e Intolerância Religiosa.

O Dia da Consciência Negra no Brasil coincide com a morte de Zumbi de Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo contra o sistema escravista. É uma das datas mais importantes que afirma o reconhecimento dos povos africanos na construção da sociedade brasileira.

Acesse a programação completa aqui: https://bit.ly/NovembroNegro2021
Inscrições para oficinas Terças Negras: https://bit.ly/TercasNegras