Levantamento revela aquecimento histórico da economia de Campina Grande em 2019

Um relatório preparado pela Secretaria de Desenvolvimento de Campina Grande, tendo como fontes oficiais o Ministério do Trabalho e Emprego, a PBTur e outros órgãos, indica que, em 2019, a cidade teve um desempenho notável em relação a vários parâmetros que refletem o aquecimento da economia no município, dentre os quais geração de empregos, ocupação hoteleira e exportação. De acordo com o levantamento, o PIB campinense em 2017 chegou a 8,64 bilhões – um crescimento de 3,3% em relação ao ano anterior.

O documento foi entregue pela secretária Rosália Lucas ao prefeito Romero Rodrigues, que destacou a performance positiva de Campina em meio a um cenário adverso em nível nacional e enaltecendo a reconhecida força do empresariado local.imagemAlguns índices são realmente surpreendentes. Em 2019, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), Campina Grande teve o melhor saldo positivo de empregos com Carteira de Trabalho dos últimos três anos na indústria de Calçados: 1.041.

O setor calçadista, aliás, foi responsável pelo grande peso nas exportações da cidade, registrando negócios na ordem de 65,4 milhões de dólares – um crescimento na ordem de 12% em relação a 2018. Para se ter uma ideia, no mesmo período, a capital João Pessoa emplacou apenas 12,5 milhões de dólares em vendas para o exterior.

Em 2019, o maior incremento de empregos ocorreu no setor de serviços – com a área de turismo tendo grande peso nessa estatística -, com o registro pelo Caged de 852 novas vagas. O total de Micro Empreendedores Individuais (MEI) chegou a 19.338 cadastrados na cidade no ano passado. Um reflexo otimista, inclusive, pode se desprender da própria redução no número de famílias contempladas pelo Bolsa Família: de 25.569 em 2018 para 22.769 em 2019. “Em tese, isso implica na melhoria de renda para 2.773 famílias”, avalia Rosália Lucas.

Turismo

Um setor que foi fortemente beneficiado em 2019 com essa reação econômica em Campina Grande foi, sem dúvidas, o Turismo, de acordo com o relatório.

No ano, que historicamente tem uma taxa de ocupação anual em torno de 50%, a rede hoteleira local em junho, graças à força d’O Maior São João do Mundo, emplacou uma média de 71,8%, de acordo com a Empresa Paraibana de Tursimo -PBTUR. Por conta do evento de 30 dias, registrou-se o maior número de diárias produzidas – 34.554, um incremento de 11% em relação ao ano anterior.

 

Fonte: Codecom