Fechando o cerco:Investigações revelam o elo da organização criminosa com as forças policiais do Governo

Não há mais como conter o aprofundamento das investigações sobre as famosas forças policiais; aquelas que muita autoridade vinha relutando em denominar não se sabe ainda as razões, mas que, com certeza, virão á tona no decorrer dos acontecimentos, já que a constatação pelos investigadores de que, até o Ministério Público seria alvo dessas investidas criminosas, acelerou o processo.

O de boné supõe-se teria estado no cenário da morte de Bruno Ernesto

O que antes ficava restrito a poucos espaços da imprensa local – aqui um deles, talvez o mais persistente – transbordou para o noticiário de veículos de repercussão nacional como Veja registrando as ações de espionagem de uma milícia que se disfarçava de policiais civis e militares.

O que já havia sido denunciado à exaustão por este portal do envolvimento dos altos escalões da Polícia Militar, incluído o comandante geral, explode em colunas como Radar da Veja, e força as autoridades ampliarem o leque das investigações, já bem próximo dos tubarões da organização criminosa ainda refugiados na complacência do atual governador.

Nome de militar encontrado pelo Gaeco no escritório de Coriolano dirigia para Jailton

Sem meia palavras, Veja cita a Casa Militara do Governo do Estado como um dos braços da organização criminosa enfatizando o que já foi exaustivamente descrito por este espaço.

O que Veja ainda não disse é que os tentáculos que envolvem a Casa Militar se estendem para o Comando Geral da Polícia Militar diante de episódios que arrastaram para o olho do furacão agentes flagrados em espionagem ao próprio Governo e subordinados ao comandante geral e ao seu coordenador de inteligência.

Casa Militar e o Gabinete do Comandante revelam harmonia e afinidade

Veja ainda não repercutiu também o nome de policiais militares a disposição de chefões da organização criminosa, já presos, como também de pessoas visceralmente relacionadas a esses personagens e ao ex-governador e que podem estar vinculadas a crimes como o de Bruno Ernesto já que há indícios que apontam para a presença desses abutres no dia da morte do servidor municipal.

Coordenador de Inteligência da PM compareceu a solenidade de entrega de Comenda a Jailton junto com o filho

Todas essas figuras macabras, de uma forma ou de outra, desfrutaram da intimidade e confiança do ex-governador e do irmão, e serviram de guarda-costas e motoristas, disponibilizados pelo alto comando da PM mostrando o quanto são estreitas as relações do comandante com esse mundo nebuloso e tenebroso do crime organizado.

A figura do Jailton, que emerge das sombras, gozava de tanto prestígio que por mutas vezes foi intermediário de pedidos de oficiais de alta patente para o ex-governador revelando todo poder de influência que gozava junto ao chefe da quadrilha desbaratada.

Condecorado com comendas as mais relevantes o obscuro servidor esnobava prestígio e poder na esfera da organização e mostrava-se íntimo de autoridades como o Chefe da Casa Militar e do próprio comandante geral ao dispor de motorista e guarda-costas.