Eficiência do trabalho da Polícia Civil reduz em 47% roubo a bancos na PB; quadrilha é presa em CG com armamento e munição de grosso calibre

Sem estardalhaço sem pirotecnia sem recorrer aos efeitos especiais tão ao gosto de certos diretores da Roliude do Sertão de Cabaceiras, a Polícia Civil da Paraíba – em parcerias com as coirmãs de Pernambuco e Rio Grande do Norte – prendeu e desbaratou uma das mais perigosas quadrilhas de assalto a bancos da região, apreendendo armamentos pesados, munição de alto calibre, explosivos e abatendo dois em confronto.

A operação foi realizada a semana passada em Campina Grande com saldo extremamente positivo com a apreensão de armas e munição de grosso calibre além de uma metralhadora antiaérea .50, centenas de munições e centenas de dinamite.

A prisão confirma o êxito do trabalho discreto, porém eficiente da Polícia Civil que pauta suas ações pelo planejamento estratégico com resultados que reduziram em até 47% o número de assaltos a bancos no estado.

Um trabalho que seria mais eficiente ainda se o policiamento preventivo e ostensivo correspondesse, não sobrecarregando tanto o desempenho da Polícia Civil.

A união das polícias civis do nordeste vencendo o crime organizado

O secretário Jean Nunes tem martelado a necessidade de mudanças na estrutura do aparelho policial onde peças enferrujadas, fora de uso e com prazo de validade vencido faz tempo, permanecem emperrando a máquina policial.

Essa operação em Campina comprova que, quando não necessita da perna podre, a Segurança Pública corresponde a altura.

Polícia Civil prende trio suspeito de matar 15 pessoas em Catolé do Rocha

Três homens acusados de integrar um grupo de assassinos que atua na cidade do Catolé do Rocha, no interior da Paraíba, foram presos nesta quinta-feira (21) pela Polícia Civil.

As prisões ocorreram nas cidades de Sousa, Campina Grande e Catolé do Rocha. Um quarto homem apontado pelas investigações como integrante do mesmo grupo criminoso foi preso na quarta-feira (20) em João Pessoa.

Segundo informações do delegado Silvio Rabelo, da 3ª Superintendência de Polícia Civil da Paraíba, os alvos da ação policial são indivíduos de alta periculosidade e fazem parte de uma organização criminosa que atua em Catolé do Rocha, mas fugiram para outras cidades da Paraíba, após causar mortes.

Ele acrescentou que a Polícia Civil já prendeu os principais envolvidos na chacina ocorrida em junho de 2020. Apesar disso, as investigações irão continuar para prender demais envolvidos em homicídios ocorridos no ano passado.

“Os presos são homicidas considerados perigosos, responsáveis por cerca de 15 mortes em chacina ocorrida no ano passado na região. Os alvos estavam foragidos, mas foram presos por equipes da Polícia Civil”, declarou.

Os presos serão encaminhados ao Sistema Prisional e apresentados ao Poder Judiciário.

Redação com Parlamento PB