Cronista paraibano Elialdo Silva pode disputar presidência de entidade nacional

Com uma gestão bem avaliada pela categoria e associados, o presidente da Associação Paraibana dos Cronistas Esportivos, Elialdo Silva já sonha com voos mais altos, onde sua liderança e capacidade de organização possa se destacar e destacar o estado no cenário nacional.

Elialdo Silva que projetar a crônica esportiva a nível nacional

De acordo com murmúrios que já ganham ares de veracidade, Elialdo pretende disputar a presidência da Associação dos Cronistas Esportivos do Brasil, onde já ocupa o cargo de Secretário Geral.

Com duas reeleições no comando da APBCE, Elialdo demonstra não querer mais um mandato e deve abrir espaços para outras lideranças, que tenham a mesma visão progressista que imprimiu a entidade, ao exemplo de colegas de diretoria como a radialista Kecia Nunes e Widmarques, sempre alinhados com o presidente e dispostos manter a linha de independência que Elialdo imprimiu para dar credibilidade a radiofonia esportiva no estado.

Mesmo amparado pela nova resolução do estatuto, alterado em recente deliberação da última assembleia geral, em 18 deste mês, que permite as eleições sucessivas, Elialdo não almeja um novo mandato provavelmente instigado pelo desafio de disputar a presidência da entidade nacional, o que seria um reconhecimento do seu trabalho em prol dos cronistas esportivos.

Elialdo marcou sua trajetória no mundo da crônica esportiva por um temperamento de altivez, que o levou a contestar e a se opor a velhas lideranças, instaladas na Acep, presidida há 20an0s por João Camurça.

A rebeldia de Elialdo provocou um cisma no mundo da crônica esportiva e desde então foi criada a APBCE, que vem projetando o estado nacionalmente ao ponto de se vislumbrar uma candidatura paraibana para a entidade que representa os cronistas esportivos do Brasil.

Elialdo não diz sim nem não para essa pretensão, que ganha corpo e adeptos no meio da crônica esportiva paraibana, que considerar a pretensão do atual presidente da APBCE, um direito legitimo de quem conseguiu se projetar a nível nacional pelo trabalho e pela honradez.