Coronavírus: Médica orienta sobre uso de máscaras caseiras

Desde o início da pandemia provocada pelo novo coronavírus, as máscaras de proteção sumiram das prateleiras, e diante da emergência da saúde pública para estabelecer medidas de prevenção ao contágio da Covid-19, a orientação por uso de máscaras caseiras tem se intensificado em todo o mundo.

Além de eficiente, as máscaras caseiras são simples de serem produzidas e protegem a pessoa e quem estiver ao redor, já as máscaras profissionais devem ser usadas exclusivamente por profissionais de saúde e pacientes contaminados pelo novo coronavírus.

A professora de medicina da Unifacisa e coordenadora do Laboratório de Estudos sobre Biossegurança e Segurança do Paciente, Mayara Lima, destacou que para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações.“É importante ressaltar que o uso das máscaras caseiras é mais uma intervenção que deve ser implementada junto com as demais recomendações propagadas pelo Ministério da Saúde e OMS, como o distanciamento social, a etiqueta respiratória, a higienização das mãos, como formas de prevenção ao vírus. A utilização da máscara não desobriga esses outros tipos de medidas preventivas. É preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano e que seja de uso individual, não podendo ser dividida com ninguém”, pontuou.

As máscaras caseiras são barreiras físicas e têm se mostrado bem efetivas, quando são bem desenhadas, higienizadas e utilizadas de forma correta. Para a confecção, pode ser utilizado alguns tipos de tecido como o 100% algodão.

“O importante é que a máscara seja feita nas medidas corretas, cobrindo totalmente a boca e o nariz, e que estejam bem ajustadas ao rosto. Na questão de higienização, se a máscara ficar úmida, tem que ser trocada. A recomendação é deixar imersa em água e água sanitária por 30 minutos, após lavar com água e sabão e após seca, passar ferro e guardar em sacola ou recipiente fechado. Sempre que for utilizar a máscara, é preciso higienizar as mãos e só tocar nas amarras, nunca na parte de dentro ou frente, e sempre lembrando que ela é de uso é individual”, explicou a professora.

De acordo com as orientações do Ministério da Saúde e OMS, é preciso evitar sair de casa e promover aglomerações. Caso a pessoa tenha realmente que sair, a recomendação é que se mantenha o distanciamento entre as pessoas.

“Evite tocar objetos sem necessidade, utilize sempre máscaras caseiras e tenha todos os cuidados com a higiene das mãos. Além disso, utilize roupas que cubram mais o corpo, prenda o cabelo, evite maquiagens, leve para rua somente o que for necessário. Ao chegar em casa, redobrar os cuidados, o ideal é que a gente tenha um sapato reservado para sair, tirar a roupa e colocar no saco fechado, tomar banho, lavar os cabelos para evitar risco de contaminação. É essencial higienizar os objetos que levamos para a rua como bolsas, chaves, e principalmente o celular. Tudo que for de fora é preciso higienizar antes de guardar”, explicou.

Orientações sobre o uso de máscaras caseiras
A máscara é individual. Não pode ser dividida com ninguém, nem com mãe, filho, irmão, marido, esposa etc;
A máscara pode ser usada até ficar úmida. Depois desse tempo, é preciso trocar;
É preciso que ela tenha pelo menos duas camadas de pano;
É importante ter elásticos ou tiras para amarrar acima das orelhas e abaixo da nuca. Desse jeito, o pano estará sempre protegendo a boca e o nariz;
Use a máscara sempre que precisar sair de casa. Saia sempre com pelo menos uma reserva e leve uma sacola para guardar a máscara suja, quando precisar trocar;
Chegando em casa, lave as máscaras usadas com água sanitária. Deixe de molho por cerca de 30 minutos.