Secretaria de Saúde informa que mais de 2 mil casos suspeitos de coronavírus estão em investigação

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou, nesta terça-feira (21), o Boletim Epidemiológico referente aos casos do novo coronavírus, na Paraíba. De acordo com o boletim, atualmente existem 2.244 notificações em investigação, de casos suspeitos de coronavírus, notificados pelos municípios e hospitais.Dos casos confirmados, o boletim constata que 85% dos casos confirmados residem na região metropolitana de João Pessoa. Os 263 casos confirmados, até o final da tarde dessa segunda-feira (20), estão espalhados por 19 municípios.

Como aponta o boletim, a maior concentração está na região metropolitana da capital, com 225 casos, sendo João Pessoa com 185, Santa Rita com 20, Cabedelo com 11 e Bayeux com 09. Outras localidades que apresentam confirmações são Patos (8), Junco do Seridó (3), Pombal (2), Serra Branca (1), Sapé (3), Sousa (1), Igaracy (1), Taperoá (1), São João do Rio do Peixe (1), Riachão do Poço (1), São Bento (1), Congo (1), Queimadas (1), Bom Jesus (1).

Já Campina Grande identificou 12 casos confirmados da Covid-19, porém com uma letalidade de 16,6%, com dois óbitos, superior ao índice registrado pelo estado, que é de 12,5%.

De acordo com a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, proporcionalmente é esperado um número maior de casos tanto em Campina Grande como em João Pessoa.

Sobre o perfil dos casos confirmados, 130 são do sexo feminino, o que corresponde a 49,4%, e 133 do sexo masculino, ou seja, 50,6%. A faixa etária com maior número de casos continua a de 30 – 49 anos com 130 casos (49,4%). Do total de confirmados 45 casos (17,11%) são de profissionais da saúde.

O boletim aponta também que a Paraíba tem 33 óbitos por Covid-19, destes 20 eram residentes no município de João Pessoa, 2 óbitos em cada um dos municípios de Santa Rita, Cabedelo, Campina Grande e Patos, e demais com 1 óbito nos municípios de Riachão do Poço, Junco do Seridó, Sapé, Bayeux e Taperoá.

Talita Tavares reforça que o agravo analisado, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), é de notificação imediata em sistema on-line e que o encerramento dos casos deve acontecer em até 30 dias, mas que cerca de 70% dos casos notificados no estado estão sem encerramento no SIVEP.

Ela destaca que a SES recomenda que, a partir da liberação do resultado do exame pelo Lacen, os casos sejam imediatamente encerrados no sistema da informação para permitir que todas as esferas de gestão tenham acesso a dados atualizados e consistentes.

“Isso evita o uso de planilhas paralelas e, assim, teremos informações mais consistentes das informações e análises reais do cenário vivido no Estado e municípios”, completa.