Comando da PM convence Governador colocar nas ruas alunos como reforço de policiamento; deputado protesta

Enquanto as balas varrem a cidade e cruzam os céus em estrepitosas demonstrações de poder das facções, o Comando da Polícia Militar convence o governador convocar alunos dos cursos de formação de praças e oficiais para reforçar o depauperado efetivo da corporação nos festejos carnavalescos.

Enquanto as balas varrem a cidade coronel faz campanha para permanecer comandante

A inciativa não pode ter partido do governador porque obviamente essa seria uma decisão essencialmente técnica da responsabilidade de quem tem formação em segurança pública como se pode deduzir sobre o comandante geral um equilibrista do poder na corda bamba tentando manter-se no cargo a qualquer preço.

Totalmente desautorizado no cargo haja vista os impropérios que inundam as redes sociais proferidos por praças e oficiais, indignados e exaustos com a permanência de 10 anos de um comandante que atrofiou a corporação.

Facções fazem exibição de poder nas barbas do comandante

Enquanto as balas cruzam os céus de João Pessoa e foliões são alvejados nas dispersões dos blocos e as ocorrências sequer são registradas no Centro de Operações da Secretaria de Segurança, comprovando a greve branca em andamento no estado, o comandante percorre os postos de observações da PM apertando as mãos constrangidas de seus subalternos num exercício de demagogia que constrange a todos.

Os áudios e vídeos que entopem as redes sociais são provas irrefutáveis de que, este senhor chegou ao fundo do poço no que tange a credibilidade do cargo que ocupa e nada impede de que seja exonerado até como preservação de sua dignidade pessoal já ultrajada ao limite do desacato.

Desacreditado, insultado pelos subordinados, Euler recorre à ficção para distorcer a realidade

Nunca na história da corporação um comandante geral chegou a esse extremo do descrédito diante de seus subordinados.

Vai entrar para a história como o comandante que serviu a um Governo que entra para os anais como uma quadrilha organizada e só esse fato e essa participação acendrada já seria suficiente para sua exoneração pelo manto de suspeita que encobre sua gestão.

Nada justifica sua permanência a não ser a cumplicidade ou o medo ou a submissão a interesses os mais subalternos e comprometedores, porque o simples fato de ser essa uma nova gestão já justificaria sua exoneração sem maiores explicações.

Só João acredita nas histórias de trancoso do coronel

O que faz no comando um comandante que desperta repúdio generalizado alvo das mais grosseiras manifestações de desapreço sem que isso incomode o governador nem mesmo os céus cruzados de balas.

Suspeito das mais terríveis suspeitas e declaradamente apaixonado pelo chefe da organização criminosa prestes a voltar para a cadeia caso a Justiça não abandone os parâmetros da Justiça, Euller continua fazendo os exercícios mais abomináveis e abjetos para não desocupar a cadeira onde repousa suas abundantes e calejadas protuberâncias por mais de nove anos numa demonstração de desfaçatez que já tem cheiro de doentia obsessão.

Quarta-feira será a prova de fogo para os alunos do coronel

O carnaval ainda não passou por sua prova de fogo na capital que vem ser o Bloco das Muriçocas famoso por arrastar multidões às ruas da cidade, o que vai acontecer na próxima quarta-feira de fogo e até lá o Governo terá tempo para tomar medidas preventivas que amputem os devaneios de um homem cujo delírio pelo poder coloca em risco a sociedade.

O que pode endossar as denúncias da oposição sobre a tremenda irresponsabilidade de colocar nas ruas um efetivo reforçado pela inexperiência de alunos e submetido à sede insaciável de poder de um desvairado.

Deputado critica decisão do governador e do comandante geral de escalar “alunos em início de formação” para enfrentamento a bandidagem na Paraíba

O deputado estadual criticou e fez um alerta ao governador e ao comandante geral da Polícia Militar da Paraíba sobre a decisão de escalar alunos em início de formação para enfrentamento a bandidagem na Paraíba.

Deputado considera uma irresponsabilidade o emprego de alunos no reforço do policiamento

“Devido a ordem irresponsável do Governo do Estado e acatada de pronto pelo Comandante Geral da Polícia Militar da Paraíba, os alunos em início de formação, estão sendo escalados em atividades externas, estando fora do Centro de Ensino da PMPB nas prévias carnavalescas”, informou o parlamentar.
.
“Porém, essa falsa “segurança” orquestradas pelo Governador, trata-se de um grande teatro de fingimento na tentativa de encobrir para sociedade paraibana os graves problemas existentes em nossas corporações militares, haja vista que estes alunos ainda estão no início do curso de formação, não estando desta forma, aptos para esse tipo de serviço. Essa decisão irresponsável pode ocasionar uma tragédia”, alertou.

Deputado Cabo Gilberto Silva anuncia que vai tomar as medidas cabíveis

O deputado disse que o governador e o comandante serão responsabilizados . “Essa atitude coloca em risco os nobres alunos, bem como toda sociedade paraibana, vez que, se por ventura ocorrer algum erro por parte dos alunos nesse tipo de atividade, não podemos culpar os militares em formação, mas sim o Excelentíssimo Senhor Governador, bem como o Comandante Geral da PMPB, por estarem escalando os alunos soldados para trabalharem no período carnavalesco”.

“Estão colocando nossos jovens militares para o enfrentamento com a bandidagem cada vez mais armada. Portanto, estarei atento a estes abusos e certamente cobrarei dos órgãos de fiscalização do Estado, providências cabíveis, a fim de responsabilizar os responsáveis por essa lamentável decisão”, comentou.