Urnas podem sepultar Ricardo na disputa pela prefeitura de JP

O ex-governador Ricardo Coutinho vem amargando um terceiro lugar empatado tecnicamente com o enfronhado delegado Walber Virgulino cuja linguagem virulenta parece estar agradando ao eleitorado pessoense.

De franco favorito, Ricardo tudo indica deve receber uma resposta definitiva do eleitor pessoense que parece ter refugado as propostas do ex-governador conhecido e aclamado pelo discurso moralista com o qual torpedeava os adversários.

Muito longe daquela figura emblemática, quase messiânica, que tanto empolgava sua militância, Ricarrdo pode fazer companhia ao ex-senador Cássio Cunha Lima sepultado pelas urnas em 2018.

Visivelmente abatido, Ricardo não consegue dar veracidade ao discurso político que fez dele uma das maiores revelações da politica paraibana apresentando-se como um candidato popular que repetiria o fenômeno Lula a nível estadual.

Originário das camadas mais modestas da população, sem tradição de família, forjado nas lides sindicais, o ex-governador parece deslocado e sem forças para reagir as turbulências da Operação Calvário.

Essa eleição pode ter um gosto amargo para o ex-campeão de votos, que desbancou as principais e tradicionais lideranças do estado e pelo desempenho corre o risco de não ir para o segundo turno.