Operação policial em Patos investiga crime previdenciário

Resultou, até agora, em dois mandados de busca em imóveis de investigados e nenhuma prisão a operação que a Polícia Federal e a Coordenação de Inteligência Previdenciária, com o apoio da Polícia Militar da Paraíba, deflagraram na manhã desta quarta-feira (23), no município de Patos. Os nomes dos envolvidos não foram revelados pela PF.

Trata-se da “Operação Syrus”, que tem por objetivo colher provas para os autos de inquérito policial que tramita na Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários, da Superintendência Regional de Polícia Federal na Paraíba. O nome da operação está relacionado à criação de pessoas fictícias para uso indevido por meio de aplicativo.

As investigações foram iniciadas em 29 de julho passado e o prejuízo estimado aos cofres da Seguridade Social gira em torno de R$ 2.747.742,50. Já o prejuízo evitado com a suspensão dos benefícios é de cerca de R$ 2.132.371,51.

As investigações focam o esquema de recebimento indevido de benefícios assistenciais (BPC/LOAS) e previdenciários com uso de documentos falsos por ocasião de requerimento, concessão e manutenção desses benefícios no Sertão, condutas encontradas no art. 171, § 3º, do Código Penal Brasileiro.