Serviço de urgência psiquiátrica em JP atende mais de 400 usuários mensalmente

O mês de setembro é marcado pela campanha de prevenção ao suicídio, o setembro Amarelo, especialmente nos serviços de atenção psicossocial. No Pronto Atendimento em Saúde Mental (PASM), da Prefeitura de João Pessoa, esse trabalho é realizado durante todo o ano, atendendo e tratando os pacientes em crise. Mensalmente, o serviço atende cerca de 420 usuários, o que corresponde a uma média de 14 atendimentos diários.

Referência na assistência a casos de urgência e emergência psiquiátrica, o PASM é um serviço 24 horas, que está inserido na rede de atenção psicossocial do município, recebendo usuários adultos (a partir de 18 anos) em situação de crise, surto psiquiátrico, quadros psicóticos, depressão grave, transtorno de personalidade, esquizofrenia e usuários de álcool e outras drogas.

De acordo com a coordenadora da Linha de Cuidados ao Sofrimento Psiquiátrico, Alexina Bezerra, o serviço de urgência e emergência psiquiátrica tem fundamental importância para a população. “O socorro imediato do paciente em crise ou em surto salva vidas. Quando se fala em suicídio, é necessário falar em saúde mental, porque a maioria das pessoas que tentaram suicídio ou se suicidaram apresentavam transtorno psiquiátricos, entre eles, depressão e transtorno de personalidade”, destacou.

Segundo ela, o serviço atende, também, pacientes dos municípios de Cabedelo, Bayeux e Santa Rita. Os usuários chegam ao PASM levados por seus familiares ou pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ao chegar, é realizado o acolhimento pela psicologia ou serviço social, encaminhado à enfermagem para verificação dos sinais clínicos e depois ao psiquiatra. O usuário levado pelo Samu é atendido inicialmente pelo psiquiatra devido ao risco de vida.

“O paciente permanece até 72 horas para estabilização da crise. Se, após esse período, a conduta médica é de uma internação para tratamento mais longo, ele é encaminhado para o Hospital Juliano Moreira”, explicou a coordenadora.

Ainda de acordo com Alexina Bezerra, só permanecem mais tempo no serviço, aqueles pacientes em crise ou surto que necessitam de internação. “A maioria é urgenciada e encaminhada aos serviços da rede de atenção psicossocial do município, onde vão criar um vínculo para tratamento em sua comunidade”, afirmou. O PASM oferece, também, orientações aos familiares do paciente.

Para o atendimento no serviço, é importante apresentar os documentos pessoais do paciente: RG, CPF, cartão SUS e comprovante de residência em João Pessoa, Cabedelo, Bayeux ou Santa Rita. O PASM está localizado na Rua Agente Fiscal José Costa Duarte, s/n, Mangabeira, em prédio anexo ao Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio Burity (Ortotrauma).

Outros serviços – Dentro da política de promoção à saúde mental, a Prefeitura de João Pessoa oferece atendimento, também, em diversos serviços da rede municipal. Neste sentido, a assistência psicossocial acontece desde as unidades de saúde da família (USF), passando pelo atendimento especializado no Centro de Referência do Cuidado à Vida, centros de atenção psicossocial (CAPS) e policlínicas municipais; terapias alternativas nos centros de práticas integrativas e complementares (CPICS); atenção hospitalar e serviços de urgência e emergência.