Segurança Pública reúne órgãos para alinhar plano de contingência contra atos antidemocráticos

Traçar um plano de contingência e alinhar ações das Forças de Segurança da Paraíba diante da possibilidade de movimentos antidemocráticos em território paraibano. Esse foi o objetivo da reunião ocorrida na tarde desta quarta-feira (11) entre o secretário da Segurança e da Defesa Social, Jean Nunes, os órgãos operativos da pasta e órgãos municipais, estaduais e federais envolvidos no Sistema de Segurança: Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Secretaria de Administração Penitenciária, Secretaria da Segurança de João Pessoa, Tribunal de Justiça da Paraíba, Ministério Público Estadual, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência, Tribunal Regional do Trabalho, Ministério Público Federal, Tribunal Regional Eleitoral, Justiça Federal e Advocacia-Geral da União.

“Estamos com um gabinete de crise instalado desde domingo (8), tivemos reuniões com chefes de diversas instituições e precisávamos avançar um pouco mais com os responsáveis pela segurança institucional desses órgãos. Fizemos alguns alinhamentos, todas as instituições estão atentas aos pontos críticos e as agências de Inteligência em constante comunicação, para que possamos nos antecipar, compartilhar melhor as informações e dar resposta imediata caso algum fato saia da normalidade”, explicou Jean Nunes. Ele também acrescentou que a população pode contribuir por meios dos canais de denúncia. “Todas as instituições têm canais de denúncia próprios e as pessoas terão o sigilo de sua identidade garantido ao contribuir com as instituições de Segurança Pública. O 197 é um desses canais, cuja ligação é gratuita”, complementou.

Após a reunião, o secretário Jean Nunes se dirigiu ao aeroporto Castro Pinto, na região metropolitana de João Pessoa, onde acompanha o embarque de 30 policiais militares para Brasília/DF. Eles serão transportados por uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), e farão parte do efetivo enviado por governadores de 10 estados, para atuar na proteção da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes, até o dia 31 de janeiro.