Saúde realiza capacitação para diagnóstico da hanseníase

O Núcleo de Doenças Crônicas e Negligenciadas da Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba, com o apoio do Lacen-PB, UFPB e Complexo Hospitalar Clementino Fraga está realizando até sexta-feira (13) o Curso de Baciloscopia em Hanseníase. O objetivo é fortalecer o diagnóstico da hanseníase na Atenção Primária à Saúde, por meio da ampliação do acesso da população aos serviços de laboratório da rede SUS na Paraíba. Para isso, estão participando do curso os representantes das cidades de Cabedelo, Campina Grande, Cuité, Guarabira, João Pessoa, Monteiro, Patos, Pombal e Sumé.

O projeto “Fortalecimento da temática hanseníase na Universidade, ampliar e fortalecer o diagnóstico e tratamento da hanseníase nos estados do Rio Grande do Norte, Alagoas e Paraíba” é uma iniciativa do médico hansenólogo Maurício Lisboa Nobre, doutor em medicina Tropical e consultor do Ministério da Saúde (MS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que foi o responsável pela palestra de abertura da semana.

A Fundação Hospitalar Alfredo da Matta (Fuham), centro de referência nacional em hanseníase e centro colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS)/Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), oferecendo dois Curso de Baciloscopia em Hanseníase: Microscopia e Interpretação de Resultados (Microscopia Digitalizada); e Coleta do Raspado Intradérmico e Coloração.

Um dos destaques da realização do treinamento é a orientação da utilização da Plataforma ControlLabpara a microscopia e interpretação de resultados com lâminas escaneadas, que contenham amostras do bacilo da hanseníase denominado Mycobacterium leprae. A plataforma contribui para um controle de qualidade.

A chefe do Núcleo de Doença Crônicas e Negligenciadas, Anna Stella C. Pachá, destaca a importância desta iniciativa: “Devido à pandemia da covid-19, o número de diagnósticos diminuiu: em 2019 tivemos 611 casos notificados, já em 2021 chegamos a 375. Essa população precisa ser vista, por isso estamos fortalecendo a atividade ambulatorial, trazendo os municípios de área endêmica para treinamento, principalmente os que possuem laboratórios desse tipo de exame e que sejam referências para este público, de modo que juntos possamos reforçar a enfrentamento à Hanseníase no estado”.

Ao longo da semana serão realizadas atividades teóricas e práticas, que estão acontecendo simultaneamente na UFPB e no auditório do Complexo Hospitalar Dr. Clementino Fraga, referência no tratamento de hanseníase na Paraíba. As aulas estão sendo ministradas pelos tutores do projeto Projeto Ação para Eliminação da Hanseníase (Apeli), Jorge Ewerton Sales e Valdinei M. Santarém, ambos da Fundação Hospitalar Alfredo da Mata- AM, serviço de referência nacional para hanseníase. Também participará do evento, de forma virtual, o doutor Alexandre C. de Macedo, da Coordenação Geral de Doenças em Eliminação do Ministério da Saúde.
Nas atividades teóricas, houve a parceria com a UFPB, para a utilização do laboratório de informática do Centro de Ciências da Saúde – CCS-UFPB, garantida pelos professores Jamilton Alves Farias – assessor de Graduação do Centro de Ciências da Saúde – CCS/UFPB e do diretor de centro Professor João Euclides. Já a parte prática está sendo realizada no Complexo Hospitalar Clementino Fraga.