Sangrando politicamente, Julian Lemos fustiga companheiros de legenda e pode colher tempestade no próximo ano

É de vaca desconhecer bezerro o clima dentro do PSL. O atual presidente da legenda, o deputado federal, Julia Lemos, mesmo não tendo uma bancada muito expressiva em termos de número, demonstra não ter muita preocupação sobre conceder ou não legenda para quem deseja disputar a reeleição pelo PSL.

Julian tenta atrair prefeitos e vereadores com emendas parlamentares

Isso pode ser constatado na resposta que deu sobre se o deputado estadual Cabo Gilberto terá ou não legenda para disputar a reeleição no próximo ano.

Julian respondeu enigmaticamente sem afirmar se o Cabo Gilberto teria a legenda do PSL para disputar mais um mandato, devendo com isso desencadear uma guerra interna na legenda que elegeu Bolsonaro.

Rancor

É certo que a família Bolsonaro não deseja revê-lo em Brasília e alguém mais confiável deve estar sendo preparado nos bastidores para dificultar a vida de Julian no próximo ano e impedir que ele compre a passagem de volta.

Prestigiado no Planalto, Cabo Gilberto pode deixar Lemos sem passagem de volta para Brasília

Ventila-se que haverá marcação cerrada ao deputado federal e ele será alvejado pelo fogo amigo se é que nessas alturas possa se chamar de fogo amigo os disparos que atiradores como o Cabo Gilberto venham desferir contra os projetos políticos da nova versão de trator que substitui Ney Suassuna.

O cabo tem tido uma das mais combativas atuações na Assembleia Legislativa, fustigando o Governo Estadual, um moderado antagonista do presidente da República, mas, mesmo assim, alvo das investidas do deputado ainda que de forma sensata e cerimoniosa sem os arroubos de estupidez que caracterizam gente como Walber Virgulino.

Lobo solitário

Julian Lemos não seria um companheiro muito leal e muita gente que conviveu e convive com ele tem o que reclamar de sua postura algo inescrupulosa quando se trata de respeitar critérios de lealdade e correção com os compromissos assumidos.

Lemos não contaria mais com velhos aliados por quebra de compromissos

As eleições municipais evidenciaram essa postura e velhos companheiros, muitos responsáveis por sua surpreendente indicação para a Câmara Federal, desistiram de caminhar junto com ele, descontentes com a falta de lealdade e seriedade com o que seria combinado anteriormente.

Alguns desses aliados sequer querem ouvir o nome do deputado definido como aventureiro ambicioso, visando apenas seus propósitos pessoais, atropelando tudo o que é moral e ético desde que alcance seus objetivos.

Um exemplo dessa postura foi o rompimento com o presidente Jair Bolsonaro quando entrou em rota de colisão com os filhos, e terminou desautorizado se apresentar como aliado do presidente.

Hoje, apesar do mandato, Lemos não consegue ter acesso ao Palácio do Planalto.

Enxotado da convivência do Governo Federal, desprezado e odiado pelos filhos do presidente, rompido com detentores de mandato da sua legenda no estado, Julian Lemos seria uma alma penada em busca de refúgio, sobrevivendo do tempo que dispõe no Horário Gratuito e do fundo de campanha, além das emendas parlamentares com as quais tenta atrair prefeitos e vereadores.

Resumindo: Julian Lemos seria uma incógnita para as próximas eleições, já que lobo solitário numa estepe cheia de alcateias, onde os fracos e feridos terminam por ser devorados.

E, para muitos, ele já estaria sangrando politicamente.