Ricardo encarna Paulo Maluf e adota o discurso maquiavélico de os fins justificam os meios; levo, mas faço

Nada mais ululante que a candidatura de Ricardo Coutinho a prefeito da capital. Desde quando resolveu permanecer no Governo com a justificativa piegas de que desperdiçava uma vaga certa no Senado que o Mago já estava de olho na prefeitura da capital aonde chegaria, tranquilamente, não fosse o advento da Operação Calvário,
que terminou por desvendar as verdadeiras razões para permanecer governador até o último dia do seu mandato.

Ricardo vai testar o grau de moralidade do eleitor da capital

Sempre manhoso, Ricardo começou esse trajeto com a cavilação de que, deixou de ser senador para cuidar do Governo, quando na verdade cuidava de seus interesses pessoais e políticos.

Torpedeado pelas delações, a sua postura de probidade despencou nas profundidas abissais do descrédito e a mais bem azeitada máquina de assalto ao dinheiro público foi desmontada pelos investigadores do Gaeco e emergiu da lama, para conhecimento público, como o monstro da lagoa.

Astucioso como o demônio, que muitas vezes o inspira, Ricardo armou-se de lança e escudo para esse Armagedom que será travado nessas eleições municipais, onde o resultado pode devolver definitivamente para o além duas assombrações que ainda arrastam as correntes na política – Ele e Cícero.

Ele sai dos escombros da Calvário para a ribalta das eleições municipais

Mas, como se disse, Ricardo antes de tudo e antes de todos já estava preparado para o combate e entra em campo com um homem a mais nas barbas do adversário, do juiz e da torcida.

Já definitiva e antecipadamente derrotado, independente do resultado, Cícero vai para o combate levando na garupa o seu algoz, adredemente adestrado pelo maquiavélico opositor para cravar-lhe o punhal nas costas, caso as urnas sejam desfavoráveis ao Mago em razão de um provável repúdio do eleitor mais consciente do estado que pode absolve-lo, concedendo-lhe o mandato, mas, de quebra, arremessará a moralidade pública para um desses lixões que a corrupção espalhou.

Reconhecidamente destemido, incapaz de recuar e tremer, desta vez o maior rival do Mago não serão os pobres adversários, trêmulos e pálidos à liça, mas os conceitos de moralidade e ética, que poderão tragá-lo inexoravelmente.

Ricardo desafia o mais esclarecido eleitor do estado e o convoca para a dissolução moral, para a permissividade ética, para a promiscuidade política, ao se apresentar como candidato, ignorando todo o escândalo que sua máquina de corrupção promoveu validando o slogan que marcou a trajetória de sumidades da corrupção como Paulo Maluf, que se vangloriava de roubar e fazer.

Convenção

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) oficializou na tarde desta quarta-feira (16) a candidatura de Ricardo Coutinho à Prefeitura de João Pessoa. O nome dele foi divulgado por meio de uma convenção do partido transmitida nas redes sociais. Também foram anunciados os nomes de 16 candidatos a vereador pelo partido.