Reputações, as mais sombrias, enfeitam a política de Conde e brilham no noticiário policial; de Márcia a Tatiana é uma promiscuidade só

Nada mais bizarro e indecente do que a guerra de reputações sombrias desencadeada no Conde pelo noticiário policial. Uma sequência de episódios sórdidos mostra o entrelaçamento das principais lideranças políticas do município com estrelas do submundo da criminalidade onde pedófilos e rufiões se misturam numa salada de sabor horripilante que faz engulhar quem tenha qualquer conceito por mínimo de moralidade.

Acusado de pedofilia pelo Vaticano padre foi afastado do Governo de Márcia

Delinquentes passeiam de braços dados com prefeitas e ex-prefeitas, ocupando espaços nas colunas sociais, em poses de intimidade que expressam toda promiscuída alcançada evidenciando o charco de impudicícias em que se transformou o paraíso terrestre do litoral sul tão abençoado por Deus e bonito por natureza.

Candidatas também se expõem de rostinho colado com aberrações do gênero humano, enfeitando a galeria de horrores que a pouca vergonha concebeu imitando Sodoma e Gomorra numa exibição de despudor que clama pela intervenção dos anjos vingadores.

Vereador da base de Márcia também é acusado de negociar com vulneráveis

Cada uma se esmerando mais e mais na capacidade de insultar a decência, de aviltar a moralidade e chutar valores que sempre nortearam a sociedade local pautada na cristandade e no temor a Deus.

Das Mães Gordas aos donos de cabarés, dos rufiões aos pedófilos, tudo virou normalidade, invadiu os lares, norteou as últimas gestões e pelo visto e noticiado deve permanecer caso essas postulações politicas prossigam na sua senda de destruir a cidade.

A gorda acusada também de pedofilia é íntima de Tatiana e Karla como mostra a foto

Não há diferença entre elas, são iguais nos processos que correm na Justiça como também nas companhias que enfeitam seus perfis nas redes sociais.

Do terreiro ao cabaré é uma coisa só.

No Conde, vereador da base de Márcia Lucena corre o risco de ser preso novamente

O vereador Flávio do Cabaré está em liberdade em virtude de uma liminar, após ser condenado na Comarca de Sapé. Mas isso pode mudar a qualquer momento. Ocorre que ele responde na comarca do Conde a um processo semelhante ao que o condenou a sete anos de prisão em Sapé.

O vereador é acusado de crime de favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de vulnerável, e se condenado dificilmente conseguirá manter-se em liberdade, já que tem outra condenação.

Ainda sobre o processo de Sapé, uma fonte informou ao site que uma bomba de proporções devastadoras pode mudar completamente os rumos do processo e levar o vereador e outras pessoas para a cadeia em pouco tempo. De acordo com essa fonte, a “bomba” vai estourar nos próximos dias.

Redação/com portais