Reitor da UFPB se reúne com presidente da FIEP para discutir a construção do Porto de Águas Profundas em Mataraca-PB

O Reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), professor Valdiney Gouveia, realizou, nesta terça-feira (20), uma visita ao Presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), Francisco Gadelha, em Campina Grande-PB, para tratar do projeto de viabilidade econômica e mercadológica do Porto de Águas Profundas, na cidade de Mataraca-PB. O empreendimento deve ocupar uma área de 10 mil hectares e gerar até 30 mil empregos diretos.

O empreendimento deve ocupar uma área de 10 mil hectares e gerar até 30 mil empregos diretos

“São milhares de empregos que serão gerados com a construção do Porto, teremos uma evolução da cidade e do Estado de forma surpreendente e a Paraíba merece, há tempo, um Porto de Águas Profundas”, disse o Reitor.

Durante o encontro, o Reitor Valdiney Gouveia dialogou com o Presidente da FIEP, Francisco Gadelha, com o objetivo de mostrar a relevância do Porto para a região. “A ideia é contar com ele, para que endosse e nos ajude a buscar parceiros e recursos”, relatou.

Na reunião, também estiveram presentes o Prefeito de Mataraca-PB, Egberto Madruga, o Deputado Estadual Moacir Rodrigues, o Vereador de Fagundes-PB Luciano Bombinha, e o ex-Prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues. De acordo com o Reitor, o projeto do Porto foi realizado a partir de dados que, hoje, estão desatualizados. Para começar a construção, é necessário fazer um estudo mercadológico e de campo com o intuito de mostrar a viabilidade da obra.

“A partir disso, vamos entender que empresas podem estar engajadas, o que o Porto pode receber de mercadoria, que mercadorias poderiam ser enviadas para outros locais, quais as rotas, e assim por diante. É essa viabilidade mercadológica que falta apresentar”, explicou o Reitor.

A UFPB vai trabalhar para que o Porto seja atualizado em seus aspectos mais técnicos, a partir do projeto fomentado pelo presidente da Agência UFPB de Cooperação Internacional (ACI), Prof. Sandro Marden, e o Prof. Ignacio Tavares, do Departamento de Economia.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), Francisco Gadelha, avaliou a reunião como importante e satisfatória. “É uma satisfação muito grande para federação ter parceria com várias entidades da Paraíba. Nós precisamos ter um Porto que faça a diferença, que seja um referencial para a região”, destacou Francisco.

A princípio, o Porto de Águas Profundas terá capacidade para receber até oito navios de forma simultânea, com uma área de 2.120 metros de atracagem e calado (profundidade) de, no mínimo, 15 metros. As atividades serão acompanhadas pela Marinha do Brasil.

A construção não deve comprometer o funcionamento do Porto de Cabedelo, mas ampliar as atividades portuárias na Paraíba, a exemplo de Pernambuco e Ceará, que possuem cada um, respectivamente, dois portos marítimos atuando em plena sintonia.

Reportagem: Carlos Germano
Edição: Ascom/UFPB
Fotos: Oriel Farias/Divulgação