Ramalho Leite toma posse como presidente da APL

8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1

A nova diretoria da Academia Paraibana de Letras (APL), presidida por Ramalho Leite,
tomou posse na noite de ontem, em uma solenidade na sede da APL, no Centro de João
Pessoa. O presidente foi reconduzido a mais um biênio depois de ter sido eleito de forma
unânime. Na ocasião também foram empossados os membros do Conselho Fiscal e da
Comissão Eleitoral, além de Sales Gaudêncio (vice-presidente), Helder Moura
(administrativo), Rui Leitão (financeiro) e Milton Marques Júnior (Documentação e
Comunicação). (Via jornal A União)
“É uma posse muito simples, mas de muita responsabilidade, porque eu estou substituindo
Ângela Bezerra de Castro, que é uma das maiores agentes culturais, e eu fui eleito por
consenso, de modo que a minha responsabilidade aumentou e eu tenho que corresponder a
ela”, afirmou Ramalho ao jornal A União.
Em relação às expectativas para o biênio 2022/2023, Leite é enfático ao destacar que pretende
dar continuidade ao trabalho que já está em andamento. “Nós vamos continuar esse trabalho,
inclusive os convênios que nós temos com a Secretaria de Estado da Educação, para colocar a
Academia nas escolas, perante os estudantes, perante a juventude, para incentivar a leitura e
divulgar os autores paraibanos”, completou o presidente da APL.
Integrando também o novo time da Casa das Letras, Rui Leitão, que assume o cargo de diretor
econômico, financeiro e patrimonial, destaca que a expectativa é de que haja continuidade do
trabalho, pois foi desenvolvido um esforço no sentido de “fazer com que essa casa de cultura,
a mais importante do estado, possa dialogar com as novas gerações”, disse. “Eu acho muito
interessante que a Academia esteja abrindo esse espaço para que a sociedade se harmonize
com o trabalho que desenvolvemos, acho que a Academia tem também essa função
pedagógica de atuar como estimuladora da produção e da promoção da cultura”, finalizou.
Programação na APL também contempla a Rota das Letras
A Academia Paraibana de Letras também foi a grande homenageada da edição especial da
“Rota das Letras”, evento promovido pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), em
celebração “aos 80 anos da APL”, de acordo com a divulgação do evento. Como parte da
programação de ontem, que encerrou a edição, houve homenagem ao poeta Sérgio de Castro
Pinto e uma mesa de lançamento do livro “Além do Ipiranga: a Extraordinária Vida de Pedro
Américo e suas Incríveis Facetas”, de Thélio Farias, com participação de Naná Garcez,
diretora presidente da Empresa Paraibana de Comunicação, e Alexandre Macedo, editor e
gerente da Editora A União, que integra a EPC.
Marcus Alves, diretor executivo da Funjope, explicou que o “Rota das Letras” é um projeto
criado no ano passado, em João Pessoa, para estimular a leitura e o livro, de maneira geral, na
capital paraibana. “A gente trouxe aqui essa semana para a Academia Paraibana de Letras em
função dos 80 anos da APL, tivemos contação de história, homenagem ao poeta Sérgio Castro
Pinto, saraus literários, lançamento coletivo de livros, entre outros, pois esse é o papel do Rota
das Letras”, ressaltou.
O lançamento de “Além do Ipiranga” foi marcado por uma apresentação de Thélio Farias
sobre o próprio livro, que destaca Pedro Américo para além do pintor conhecido pelo quadro
do grito do Ipiranga. Segundo Thélio, o multiprofissional pode ser considerado como o maior
paraibano de todos os tempos, sendo o primeiro popstar da História, por ter agradado o
público, a crítica e os intelectuais de sua época.

A diretora presidente da EPC, a jornalista Naná Garcez, enfatizou que o trabalho da Editora A
União com lançamentos que fortalecem a cultura local, bem como o papel dos outros veículos
que integram a empresa, representam o compromisso com a missão da EPC em “promover e
estimular a cultura paraibana, seja através de festivais de música, seja através das publicações
da editora, seja em colunas diárias do jornal, no Correio das Artes, e em várias manifestações
que existem e que estamos presentes”, afirmou.
Para a editora, particularmente, que assina a edição de “Além do Ipiranga” juntamente com a
Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), o momento foi muito especial, pois fortalece o
selo da Editora A União, de acordo com Alexandre Macedo, editor e gerente da editora. Ele
completa resgatando a participação da editora ao longo da “Rota das Letras”.

Matéria transcrita do jornal A União

Foto: Reprodução/A União