Processo festejado como arquivado subiu para o STJ e pode ter desdobramentos surpreendentes; ministro que se julgou suspeito nos habeas corpus da Calvário será o relator

Algo estranho começa ser fecundado nos subterrâneos da Justiça onde as coisas estranhas de tão frequentes deixaram de ser estranhas. Um processo, que já começou estranho pela entranhada complacência dos juízes paraibanos, teve sua movimentação nesta segunda-feira (11) no STJ.

Processo percorreu caminhos estranho nas varas paraibanas, até escapar do arquivamento

E, por mais estranho que possa parecer, quando da distribuição caiu nas mãos de um ministro, que já se averbou suspeito em processos anteriores, envolvendo clientes dos filhos advogados, alguns réus na Operação Calvário.

Depois de muito mourejar na Justiça paraibana e de ter os pareceres mais favoráveis ao arquivamento – o que provocou comemorações efusivas e manifestações de alívio em redes sociais, onde até Deus foi convocado como testemunha, o libelo devastador ascendeu as esferas superiores pela persistência da outra parte e pela extremada confiança desta de que, ao final será feito justiça na melhor forma da Justiça.

Mero acaso a escolha do ministro relator, mas a casualidade nessa rede de intrincadas relações tenebrosas se cobre de suspeitas e o veredito vai dizer se o parentesco pode interferir nas decisões paternas, como também confirmar se a força das organizações criminosas já adentrou aos Palácios mais requintados do Judiciário.

Depois de ardorosamente comemorado o arquivamento processo teve tramitação no STJ

Criminosos de elite, chefões de organizações criminosas, que pululam por esse país bafejado pela corrupção, são servidos dos melhores advogados muitos deles rebentos das castas judiciárias, que montam escritórios de advocacia e o sobrenome transforma esses ambientes, em muitos casos, em verdadeiros balcões de negócio, onde sentenças são previamente arbitradas à revelia da moral e da ética, que deviam revestir as decisões judiciais.

Esse processo de tamanha importância e de efeito devastador, caso à argumentação dos acusadores prevaleça, pode colocar setores paraibanos de ponta-cabeça tais os efeitos e consequências, já que encobre e envolve uma das trapaças mais bem urdidas da vida pública, um drible perfeito na Constituição Estadual.

Esperar pra ver os desdobramentos do processo que, pelo relator pode subir para a ultima instância da Justiça, já que mesmo sem constar o nome dos rebentos pode sofrer influências, onde a imparcialidade venha ser varrida paras a cucuias, levando-se em consideração que os meninos do ministro advogam para clientes envolvidos na Operação Calvário e com quem o réu tem estreitas e reconhecias ligações, as mais sombrias, diga-se de passagem.