Polícia prende construtor apontado como receptador de roubos

Após quatro meses de investigação a Delegacia de Roubos e Furtos de Campina Grande conseguiu desarticular uma organização criminosa na cidade que vinha causando prejuízos a empresários donos de construtoras furtando, por meio de arrombamentos, material usado nos canteiros de obras. Denominada de “Desconstrução”, a operação prendeu um comerciante, que também trabalha no ramo da construção civil. Ele era o responsável por receptar o material roubado. Outro rapaz que executava os roubos também foi preso. Ao todo, duas toneladas de material e ferramentas foram recuperadas, e está avaliado em mais de R$ 62 mil. (Via Jornal A União)

Nas buscas, dois homens, ao perceberem a presença de policiais, fugiram e estão sendo procurados. “Outras pessoas estão sendo investigadas e de acordo com o desenrolar das investigações, poderemos ter novas prisões”, disse o superintendente da Polícia Civil Glauber Fontes.

Durante a operação, grande parte do material que havia sido roubado, foi encontrado armazenado em um imóvel no sítio Chã do Marinho, zona rural da cidade de Massaranduba, Agreste do Estado. “Vários proprietários de construtoras e donos de obras vinham sendo lesados tendo objetos furtados do interior das construções e nos canteiros de obras. Isso vinha causando transtorno muito grande na região de Campina Grande. Então a Delegacia de Roubos e Furtos começou a investigar, e identificou não só quem roubava, bem como, o que receptava”, explicou.

Conforme explicou, os equipamentos roubados estavam sendo vendidos tanto em Campina Grande como em Massaranduba. O comerciante confessou que realizava a compra do que era furtado também em feiras livre da cidade e municípios da região, e ainda de carroceiros que transitavam nas localidades. Em seguida, destinava parte do material para as obras que realizava, e a outra, vendia.

Ainda na operação, deflagrada na última quinta-feira, foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão domiciliar no bairro do José Pinheiro, na Rainha da Borborema, e nas cidades de Lagoa Seca e Massaranduba. Também foram cumpridos os dois mandados de prisão preventiva expedidos pela justiça.

Foram encontradas no local 300 escoras metálicas, 90 peças de andaimes, pias de inox, vasos sanitários, carroças de mão, betoneira e demais objetos de construção civil.

 

Matéria assinada por Giovannia Brito

Foto: Divulgação