Gerais

PBGás e montadoras discutem eficiência e benefícios da tecnologia do gás natural usado em caminhões e ônibus

A Companhia Paraibana de Gás (PBGás) e os fabricantes mundiais de veículos pesados apresentam nova tecnologia de uso do GNV em substituição ao óleo diesel. Em um simpósio realizado nessa terça-feira (31), em João Pessoa, especialistas discutiram sobre uso do gás natural em ônibus e caminhões, o crescimento desse mercado e sobre a infraestrutura necessária de postos de combustíveis no país e na Paraíba para oferecer autonomia desses veículos.

O diretor-presidente da PBGás, Jailson Galvão, destacou a importância da iniciativa conjunta com os fabricantes e agentes do mercado e da academia na busca de novas tecnologias para o uso do gás natural na transição energética e de sistemas com menor emissão de carbono e poluentes. Ele explicou que caminhões a gás oferecem uma redução de 20% de CO² e de até 90% de dióxido de nitrogênio em relação ao diesel. “Esperamos que deste primeiro simpósio surjam parcerias para que tenhamos caminhões e ônibus a gás natural circulando na Paraíba”.

A gerente de mercado Industrial e Automotivo da PBGás, Fabiola Gomes, também apresentou os planos para o setor do gás natural na Paraíba, como o corredor rodoviário para veículos leves e pesados de GNV com a adaptação para abastecimento de caminhões e ônibus que necessitam da adaptação do bico para alta vazão. Na Paraíba, existem 37 postos de GNV e GNC que podem ser adaptados também para abastecimento de veículos de carga.

O supervisor de Novos Negócios da MWM, Thiago Brito, destacou o diferencial dos novos motores a gás natural que mantêm a mesma característica de torque e potência e consumo do diesel, mas emitem menos poluentes. “A autonomia depende da capacidade do cilindro, do modelo do caminhão e do peso da carga, mas temos caminhões que conseguiram chegar a até 600 km”, explicou.

“A ideia da Scania é trazer para seus clientes mais uma alternativa de veículos sustentáveis, fornecendo caminhões a gás natural desde 2019”,  explicou Adriano Brito, gerente de Vendas de Soluções da Scania, que destacou que os governos estaduais e companhias de gás têm um papel fundamental na criação de uma infraestrutura de postos que possibilitem que um veículo possa circular em todas as regiões do país.

Em sua palestra, o gerente de Desenvolvimento de Produtos da Iveco, Fábio Nicora, apresentou o portifólio dos caminhões e ônibus a gás natural lançados em novembro do ano passado.   “Hoje temos caminhões com autonomia de até 550 km a gás/biometano e que os motores a gás mantêm a mesma potência dos movidos a diesel. “Estamos apostando nessa tecnologia sustentável no caminho da descarbonização e acreditamos que os nossos clientes também”.

Na programação o gerente do BNB, André Emerick, apresentou linhas de financiamentos do Banco do Nordeste e o professor Doutor da UFPB, Benilton Nascimento, falou sobre  o projeto de conversão de Motores Diesel para o uso de gás natural realizados no laboratório de engenharia mecânica. O Sest Senac e a Ademicon também apresentaram seus portifólios de produtos e serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *