Parque Tecnológico Horizontes de Inovação promove reunião com startups

8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1

A equipe do Parque Tecnológico Horizontes de Inovação (PTHI) reuniu-se presencialmente pela primeira vez com representantes de 12 startups classificadas no edital da primeira chamada “Desafios Tecnológicos e Inovação – Conectando Startups”, para empresas inovadoras que vão propor soluções nas áreas de tecnologias da educação e turismo sustentável. O encontro aconteceu na tarde da terça-feira (10), no Shopping Seabrae, e foi aberto pelo professor Rubens Freire, secretário executivo de Ciência e Tecnologia do Estado.

“Essa primeira chamada nos deu a oportunidade, inclusive, de identificar no ecossistema de inovação de João Pessoa e de Campina Grande quais são as startups que já estão sintonizadas com os desafios da área de tecnologias educacionais e da área de turismo sustentável”, explicou Francilene Garcia, coordenadora do Parque Tecnológico. “E aí o nosso objetivo é que elas, na imersão que vamos conduzir a partir de fevereiro e ao adentrar nas escolas do estado e em alguns dos empreendimentos da cadeia de turismo de João Pessoa, sintonizem melhor as suas soluções com os problemas reais”.

A chamada “Desafios Tecnológicos e Inovação – Conectando Startups” é uma parceria da Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia (Seect) com a Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq-PB), no âmbito do Programa Parque Tecnológico Horizontes de Inovação. O edital foi lançado em agosto e em dezembro foram divulgadas as startups selecionadas. Os projetos selecionados receberão aporte financeiro de até R$ 150 mil, com prazo de execução de até oito meses.

Os projetos voltados para a educação poderão ser testados na prática nas escolas estaduais, com algumas soluções escolhidas para serem validadas e testadas no ambiente da rede de educação do Estado. No âmbito do turismo sustentável, a ideia é também testar as soluções na prática.

“Esse primeiro encontro foi para conversar como é que a gente vai, junto, trilhar essa trajetória’, continua Francilene Garcia. “E, mais do que isso, explicar para os representantes das startups que essa subvenção econômica é uma aposta que o Parque Tecnólogico está fazendo na direção de antecipar produtos de sucesso no ambiente do ecossistema”.

O PTHI já realizou chamadas direcionadas a pesquisadores e a estudantes do Ensino Médio da Rede Estadual de Ensino. Para as startups, a ideia é também construir um primeiro conjunto de empresas que poderão se instalar nas dependências do parque – cuja sede, no antigo Colégio Nossa Senhora das Neves, na Praça Dom Ulrico, está entrando em fase final de reforma e tem previsão de inauguração em maio.

“A gente pretende, com o Parque Tecnológico Horizontes de Inovação, que tem uma forte liderança do Governo do Estado na sua concepção e realização, construir um programa de compras governamentais olhando para empresas nascentes e inovadoras”, conta a coordenadora do PTHI. “Como esse mecanismo não está totalmente formatado, o Parque Tecnológico, nesse momento, está identificando potenciais parceiros, ‘players’ do ambiente empreendedor, que vão estar colaborando com demandas e desafios do Estado em breve”.

Fotos: Renato Félix