EXCLUSIVO: Wilson Filho diz que seu perfil é ideal para presidir ALPB no próximo biênio

“Credibilidade não se adquire na esquina; a gente conquista”
Por Gisa Veiga

O deputado estadual Wilson Filho (Republicanos) tem a certeza de que os próximos presidentes da Assembleia Legislativa sairão do Republicanos e que o partido, com três candidatos ao cargo – ele, Adriano Galdino e Branco-, não sairá dessa disputa interna arranhado. Mais: ele deixa claro que tem o perfil ideal para assumir a próxima presidência, mas sem desmerecer os demais concorrentes republicanos e de outros partidos.

“Tenho experiência política considerável como deputado federal, fui eleito coordenador da bancada federal paraibano por quatro anos. Credibilidade não se adquire na esquina, a gente conquista. Confiança, também”, disse ele ao portal Jampa News, lembrando, ainda, sua experiência como líder da maioria e como líder do governo, cargo que ocupa até hoje.

“Meu perfil é conciliador, de promover a harmonia entre meus pares, sem criar arestas, permitindo que todos os deputados tenham o seu protagonismo”, enfatizou.

Wilson está na batalha pelos votos que lhe garantam a presidência. “Vou de reunião em reunião, de voto em voto, mostrando esse meu perfil”.

Reunião

Wilson esteve segunda-feira, 21, com o governador João Azevêdo para tratar do assunto da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. E saiu, mais uma vez, confiante de que a preferência do governador é pelo Republicanos, apesar de, dias atrás, Azevêdo ter dito à imprensa que seu desejo é apenas por quem seja “da base do governo”, sem especificar nomes ou partidos.

“Mas o governador já deixou claro, em outras ocasiões, que tem compromisso com o Republicanos, que possui a maior bancada. Alguns veem essa inclinação como natural, outros como preferência e ainda outros como compromisso”, tangenciou, sem afirmar que, dessa última reunião, o governador selou de vez essa preferência.

Ele disse que o presidente do partido, deputado Hugo Motta, marcará “para breve” uma reunião com os três candidatos do Republicanos para construir um consenso em torno do nome do próximo presidente. “Uma coisa é certa: o partido vai se manter unido”.