Política

Desmatamento e assoreamento de rio comprometem sobrevivência de pescadores e agricultores de Baía da Traição

Consequência do desmatamento acentuado nos últimos anos às suas margens, o assoreamento do Rio Sinimbu tem comprometido a sobrevivência econômica e a subsistência de pescadores e agricultores indígenas de cinco aldeias potiguara do município de Baía da Traição, no litoral norte da Paraíba. “O desassoreamento do rio é uma bandeira nossa há quase 50 anos”, ressalta o vereador Ronaldo do Mel (Republicanos), vice-presidente da Câmara Municipal de Baía da Traição (CMBT).

“O desassoreamento é um projeto muito importante para o povo potiguara”, destaca Ronaldo, que esteve recentemente em Brasília, onde protocolou junto ao gabinete do senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB) um pedido para recursos, junto aos órgãos competentes, para o desassoreamento do rio. “A gente deu entrada na questão. Assoreado, nas cheias o rio tem alagado e impactado negativamente a nossa agricultura. Quem produzia às margens dele não consegue mais plantar. O rio tem jogado suas águas para fora e alaga tudo”, explica Ronaldo do Mel.

O Rio Sinimbu nasce na Aldeia Tracoeiras, da junção dos Riachos São Francisco e Tracoeira, e deságua no Rio Estiva, último afluente da margem esquerda do Rio Mamanguape, antes de lançar suas águas no Oceano Atlântico, nas proximidades da Praia de Coqueirinho. Além de Tracoeiras, o Sinimbu ainda atravessa as Aldeias São Francisco, Alto do Tambá, Forte (na sede do município) e Akajutibiró.

O vereador acredita que o pedido feito ao senador será concretizado, a exemplo de outras demandas que receberam o apoio de Veneziano. “A gente aproveitou para agradecer a ele o encaminhamento de cinquenta unidades habitacionais que a gente vai começar a fazer pela Associação Paraíba Mel” – Associação Paraibana dos Produtores de Mel de Baía da Traição, na Aldeia São Miguel. “A gente aqui de Baía da Traição só tem muito o que agradecer ao senador Veneziano, por ter nos dado uma atenção muito especial e atendido muitas demandas”, reforça Ronaldo.

Com pouco mais de 9,2 mil habitantes e distante a 92 quilômetros da capital paraibana, João Pessoa, o município de Baía da Traição tem 90% de seu território dentro de reservas indígenas potiguara (num total de treze aldeias).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *