Delatores começam revelar o rosto dos membros das forças policiais que emprestavam apoio a Coriolano

Nada que uma boa delação não consiga fazer e apressar. Depois de delatado na Operação Calvário, o Chefe da Casa Militar, coronel Anderson Pessoa, foi exonerado a pedido e detonou um clima de expectativa quanto ao desfecho de mais uma operação punitiva aos subterrâneos da corrupção à procura de remanescentes do esquema criminoso, montado pelo ex-governador Ricardo Coutinho e do qual seria supostamente peça importante o coronel exonerado.

Caberia mais gente nesse balaio de gato

O coronel Anderson é protagonista de uma das carreiras mais meteóricas da história da Policia Militar galgando postos numa velocidade só superada pela luz, não se sabe ainda as razões para tanto prestigio e tanto sucesso, o que pode ser esclarecido agora pelas investigações.

O coronel já estava afastado das funções, por questões de saúde, depois que a delação pipocou na imprensa e revelou que ele seria um dos que davam suporte ao transporte do dinheiro surrupiado recorrendo a estrutura do estado.

À época, o coronel era um inexpressivo capitão provavelmente obedecendo ordens superiores para escoltar a propina que chegava de avião no hangar do estado, e que é supervisionado pela Casa Militar.

Prestigiado pelo Alto Comando da PM, Anderson chegou na velocidade da luz à patente de coronel

O envolvimento do capitão aumenta para dois a participação de integrantes da Policia Militar no esquema de corrupção que estarreceu a Paraíba e destruiu a imagem de probidade construída com muita arrogância e prepotência pelo ex-governador Ricardo Coutinho.

O primeiro a ser apontado foi o coronel Fenando Chaves, primo do comandante geral, Euler Chaves, revelado por Livânia de ser o agente das forças policiais que emprestava apoio e garantia o transporte do dinheiro da corrupção.

Por muito tempo, Fenando Chaves, morto em desastre de automóvel em 2014, pagou o pato de ser o único agente das forças policiais envolvido com o esquema, o que seria absolutamente inadmissível diante da gigantesca estrutura que exigia o transporte do dinheiro.

E isso ficou confirmado pelas delações de onde emergiu o segundo nome o hoje coronel Anderson, comprovando que tem mais protagonistas nesse balaio de gato, e que ainda cabe mais.

As ditas forças policiais começam ganhar perfis, e o que sempre pareceu óbvio e notório acontecendo com os personagens sendo apontados a cada delação.

E gente ainda mais gemada pode terminar nos ermos de Jacarapé, às expensas do Estado.

A exoneração do coronel Anderson sugere que o Governo não vai esperar a casa cair para ver quem pode surgir dos escombros.

Portanto, quem tiver barba seria bom colocar de molho.

O coronel Anderson Henriques Benevides Pessoa foi nomeado secretário chefe da Casa Militar pelo ex-governador Ricardo Coutinho.

A exoneração foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, dia 7. Para seu lugar foi nomeado o Tenente Coronel Marcelo Tadeu Rodrigues Lima.

O atual governador João Azevedo manteve o coronel no cargo até agora, mas após a publicação pela imprensa de trechos de delação que cita a participação do oficial em operações de recebimento de propina no âmbito da Operação Calvário, o governador o exonerou do cargo.

O coronel Anderson foi exonerado do cargo de secretário Executivo Chefe da Casa Militar do Governador e foi nomeado como Subcomandante de Policiamento Regional da Polícia Militar..

ATO DE EXONERAÇÃO DO CORONEL ANDERSON

Ato Governamental nº 1.758 João Pessoa, 06 de abril de 2021

O GOVERNADOR DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso das atribuições que lhe
confere o art. 86, inciso XX, da Constituição do Estado, e de acordo com artigo 33, inciso II, da Lei Complementar nº 58, de 30 de dezembro de 2003,

R E S O L V E exonerar, a pedido, CEL PM ANDERSON HENRIQUES BENEVIDES PESSOA, matrícula nº 5212847, do cargo em comissão de SECRETARIO EXECUTIVO CHEFE DA CASA MILITAR DO GOVERNADOR, CDS-2, da Casa Militar do Estado da Paraíba.

ATO DE NOMEAÇÃO DO NOVO SECRETÁRIO CHEFE DA CASA MILITAR

Ato Governamental nº 1.755 João Pessoa, 06 de abril de 2021

O GOVERNADOR DO ESTADO DA PARAÍBA, no uso das atribuições que lhe
confere o art. 86, inciso I, da Constituição do Estado, e tendo em vista o disposto no art. 9º, inciso II, da Lei Complementar no 58, de 30 de dezembro de 2003, na Lei no
8.186, de 16 de março de 2007, e na Medida Provisória nº 265, de 26 de outubro de 2017, R E S O L V E nomear TEN CEL QOC MARCELO TADEU RODRIGUES LIMA para ocupar o cargo de provimento em comissão de SECRETARIO EXECUTIVO CHEFE DA CASA MILITAR DO GOVERNADOR, Símbolo CDS-2, da Casa Militar do Governador