Cardeal do Progressista diz que não há divergências políticas entre João e Cícero, mas admite fagulhas de vaidade

Tirada à prova dos nove, consultados os dois lados da pendenga conclui-se que o arranca-rabo entre Cidadania e Progressistas ficou restrito a fogueiras das vaidades, já devidamente advertidas para não prosseguirem alimentando embates que passam longe dos interesses maiores das duas legendas.

Porta-voz credenciado do PP assegura que não há o menor estremecimento entre o governador e o prefeito ambos empenhados na luta pela preservação da vida e da saúde de paraibanos e pessoenses.

Não há tempo para questiúnculas, enfatiza o credenciado auxiliar da Prefeitura, reconhecendo ser mais uma questão de vaidades do que propriamente divergências políticas.

Segundo a fonte, a sintonia entre Cícero e João passa longe dessas discussões menores, envolvendo detalhes de decretos que têm por objetivo enfrentar a pandemia, cada um observando e respeitando os limites e as adequações constitucionais.

O resto seria apenas marolas que não se mostram suficientes para mudar o rumo da vitoriosa aliança política que conduziu Cícero a prefeitura.

Não há divergências, enfatiza, são apenas pontos de vista.