GeraisNotícias urgentes

Anuário Abrelivros: PNLD distribuiu 4 milhões de livros na Paraíba em 2022

Edição 2023, que destaca a importância do Programa Nacional do Livro e do Material Didático, aponta ainda que alunos receberam gratuitamente 1,4 bilhão de livros didáticos nos últimos 10 anos no Brasil

A Associação Brasileira de Livros e Conteúdos Educacionais (Abrelivros), que reúne as principais editoras de livros escolares, apresenta a edição de 2023, que tem como tema “A Base Nacional Comum Curricular (BNCC)”. A BNCC definiu o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver durante a Educação Básica.

O Anuário – que tem versão digital e em braile – também destaca o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD), iniciativa consolidada há mais de oito décadas e que distribuiu gratuitamente mais de 1,4 bilhão de livros didáticos às escolas públicas estaduais e municipais nos últimos dez anos. Apenas em 2022 foram distribuídos 206 milhões de obras. A Paraíba recebeu 4.019.595 de obras didáticas em 2022, beneficiando 571.909 alunos.

A obra pode ser acessada através do link.

“Ao oferecer informações, análises e números sobre o segmento de conteúdos escolares, pretendemos consolidar o Anuário como uma ferramenta de comunicação com todos os níveis de governo, e também com a sociedade civil, sobre a importância do livro escolar”, afirma Ângelo Xavier, presidente da Abrelivros.

O Anuário Abrelivros 2023

Nesta edição, o Anuário informa que o ciclo de distribuição dos livros didáticos abrange quatro anos e engloba várias fases de ensino: Educação Infantil, anos iniciais e finais do Ensino Fundamental, e Ensino Médio. Os estudantes do Ensino Médio foram contemplados, com 109,5 milhões de obras. O Ensino Fundamental ano iniciais (1º ao 5º ano), contou com 67,5 milhões de livros, seguido pelo Ensino Fundamental, do 6º ao 9º ano, com 25,8 milhões de exemplares, e a Educação Infantil, que recebeu 3,1 milhões de obras.

Regiões

Na distribuição regional dos livros didáticos, o Sudeste foi o que recebeu o maior número de obras didáticas, que correspondeu a 35,5%, com 73, 2 milhões de exemplares, seguido pelas regiões Nordeste, com 31,5% (64.921,095), e Sul, com 13% (26.879,954). Já o Norte respondeu por 12,1% do total do programa (24.926.911 exemplares), e Centro-Oeste por 7,8% (6.168.938 obras).

Os números de todos os estados e do Distrito Federal também são apresentados, com dados consolidados do PNLD no ano de 2022, incluindo o total de exemplares por estado, valores das obras, e informações sobre escolas e alunos beneficiados.

Com 97 páginas, o volume deste ano apresenta infográficos, entrevistas com educadores, formuladores, pesquisadores, além de apresentar indicadores centrais da Educação – os mais recentes disponíveis, já demonstrando o impacto da pandemia.

“O PNLD é uma iniciativa fundamental para o fortalecimento da educação no Brasil, contribuindo para o acesso de qualidade ao material didático e para a implementação da BNCC. O anuário propõe olharmos para o futuro, com informações para buscarmos reconstruir, debater mudanças, fortalecer formação docente e avançar, sempre reconhecendo a vitalidade dos recursos didáticos para guiar professores e alunos”, complementa Ângelo Xavier.

 

Metodologia

A metodologia do Anuário Abrelivros se baseia em informações geradas e fornecidas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), gestor do PNLD. Os números relativos à Educação foram compilados a partir de fontes primárias, como MEC/Inep, FNDE/PNLD e IBGE, frequentemente com a contribuição estatística da Assessoria de Pesquisa e Avaliação da Fundação Roberto Marinho e do QEdu/IEDE. Eventuais diferenças metodológicas podem existir em relação à edição de 2022, cujos dados foram extraídos do Anuário Brasileiro de Educação Básica, editado pelo movimento Todos Pela Educação e pela Editora Moderna.

O Anuário Abrelivros 2023 incorpora os dados mais recentes disponíveis, com a maior parte dos números relativos a 2022. Já os dados sobre o aprendizado dos estudantes brasileiros são provenientes de 2021, dado que a aplicação das provas do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) ocorre em anos ímpares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *