TRE rejeita pedido de tropas federais para as eleições no estado

8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1
8574 - Formato 1

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) rejeitou, em sessão realizada ontem, o pedido de tropas federais para as Eleições 2022. A solicitação foi feita pela juíza eleitoral Carmen Helen Agra de Brito, do cartório da 50ª Zona Eleitoral, para os municípios de Pocinhos, Puxinanã e Montada. A relatora do processo foi a desembargadora Maria de Fátima Bezerra Maranhão, que teve o seu voto seguido pelos demais membros da Corte. (Via jornal A União)

Em seu pedido, a juíza relatou a prática de atitudes desrespeitosas direcionada a própria magistrada, ataques verbais entre eleitores e candidatos, além de uma polarização entre os grupos políticos que compromete o limite de civilidade. No entanto, no entendimento da desembargadora Maria de Fátima, as forças de segurança são suficientes para garantir a tranquilidade das eleições nestes municípios. A desembargadora seguiu parecer enviado pela Secretaria Estadual de Segurança e Defesa Social. “A Procuradoria Regional do Estado, através do pronunciamento da Secretaria de Estado de Segurança, registrou a desnecessidade da atuação de tropas federais no acompanhamento das eleições no estado”, leu a magistrada durante o julgamento do processo.

Além disso, o Ministério Público Eleitoral também emitiu um parecer contrário à solicitação de tropas federais. “A estrutura da Polícia Civil e Militar fará a segurança no estado, e a Polícia Federal, que faz parte do planejamento do TRE e do Estado, também a segurança. Em Pocinhos, havendo esse acirramento, contará com as polícias militar, civil e federal. Com isso, o Ministério Público se manifesta pela ausência de justificativa que faça com que o TRE acolha o pedido”.

Por fim, a desembargadora Maria de Fatima votou pela rejeição do pedido, e foi seguida pelos demais membros da Corte Eleitoral. “Compreendemos que no momento se faz desnecessário o emprego de tropas federais para os respectivos municípios”, disse.

Planejamento
Representantes da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba (Sesds) participaram, na manhã de ontem, de mais uma reunião de planejamento integrado da segurança nas Eleições Gerais de 2022. No encontro, foi decidido que mais de 600 câmeras de segurança vão funcionar durante o pleito. Além dos integrantes das Forças de Segurança da Paraíba, participaram do evento a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência e Exército com o objetivo de promover integração entre a Justiça Eleitoral e as Forças de Segurança e juntos criar e compartilhar o planejamento das principais atividades do Projeto Segurança das Eleições. Além disso, a identificação das necessidades de cada zona eleitoral na Paraíba é observada no momento de construir a estratégia de segurança a ser adotada nas eleições, de modo a facilitar a comunicação das ações relativas à segurança do pleito.

TRANSCRITO DO JORNAL A UNIÃO