Secretaria de Saúde presta contas de investimentos na área em 2021

Em audiência pública realizada na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), nesta terça-feira (7), o secretário de saúde do município, Fábio Rocha, apresentou os investimentos feitos na área nos dois primeiros quadrimestres de 2021. A apresentação atende a uma determinação legal que estabelece os critérios de rateio dos recursos de transferências para a saúde e as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas com essa área nas três esferas de governo.

 

Além do gestor da pasta, participaram da audiência a secretária executiva Rossana Maria; a diretora de atenção à saúde, Rayanna Coelho; a diretora da vigilância em saúde, Aline Grisi; a diretora da regulação, Ana Giovana Medeiros; entre outros profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

 

Fábio Rocha esclareceu que os recursos da Saúde de João Pessoa vêm das três esferas de governo (Federal, Estadual e Municipal), pela receita de impostos e transferências constitucionais legais, além de doações. De acordo com o secretário, nos dois primeiros quadrimestres a Prefeitura destinou mais de 15% da receita do município para a Saúde, atendendo ao percentual mínimo exigido pela Constituição Federal.

 

 

Gestão Covid-19

 

O secretário de saúde relatou algumas ações realizadas para lidar com a pandemia do novo coronavirus, como a elaboração de protocolos de manejo da Covid-19 e ampliação de leitos clínicos e de UTI. “Ao chegar na Prefeitura, nós tínhamos algo em torno de 36 leitos de UTI para atender pacientes de Covid-19, distribuídos no Valentina, Prontovida e Santa Isabel. Saímos de 36 leitos para uma realidade de 195 leitos de UTI, além da criação de mais leitos de enfermaria”, revelou Fábio Rocha.

 

Segundo os dados apresentados, no início do ano, cada Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município contava com três leitos com suporte ventilatório, somando 12, ao todo, número que foi ampliado para 21. “Chegavam muitos pacientes cansados nas UPAs, precisando de suporte ventilatório e monitoração dos sinais vitais, como também que fosse iniciada terapia de oxigênio. Nós implantamos um suporte de oxigênio muito pesado nas UPAs, inovando, inclusive, com o Capacete Elmo”, explicou o secretário.

 

Respondendo a um questionamento do vereador Junio Leandro (PDT) sobre dados atuais de vacinação e testagem de Covid-19, a diretora da vigilância em saúde, Aline Grisi, afirmou que a 87% da população pessoense já recebeu a segunda dose do imunizante. “O avanço na vacinação foi fundamental para diminuir o número de ocupação de leitos e os óbitos por Covid-19”, avaliou Aline, informando que as vacinas também passaram a ser disponibilizadas nos Postos de Saúde da Família (PSFs) e em horário estendido (até as 22h) nos estacionamentos dos shoppings.

 

Sobre os testes de Covid-19, Aline Grisi informou que o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-PB) funciona como um ponto fixo de testagem, além de todos os PSFs. “Temos também o ônibus itinerante, que busca a população para avaliar os casos positivos da cidade. Os testes vêm sendo benéficos e eficientes para sabermos que caminhos tomar no combate à doença”, avaliou.

 

 

Complexo de Doenças Raras

 

Durante a audiência, a secretária executiva de saúde, Rossana Maria, anunciou que João Pessoa vai ganhar um Complexo de Doenças Raras, nos Bancários, fruto de uma parceria com o Governo Federal. “Será o primeiro serviço desse tipo no Brasil, e deve ser entregue em março. Dentro de três, quatro anos deverá ser inaugurado o Hospital de Doenças Raras”, previu a gestora.

 

A secretária executiva também informou que o atendimento multidisciplinar vem sendo ampliado em toda a rede municipal de saúde. “Os psicólogos estão presentes em toda rede. No tratamento da Covid-19, eles têm sido fundamentais, entrando em contato com as famílias através de vídeo chamadas”, exemplificou.

 

 

Atendimento Odontológico

 

O vereador Coronel Sobreira questionou os gestores da Saúde sobre a possibilidade de oferta de atendimento odontológico nas UPAs. “O atendimento de saúde bucal está distribuído em toda atenção básica. Podemos adiantar que essa ampliação para atendimento nas UPAs já foi solicitada ao Ministério da Saúde, além da oferta de mais três odontomóveis”, revelou Rossana Maria.