SANGRIA MUNICIPAL: após 8 anos, Cartaxo descobre existência do Trauminha e assina OS de quase R$ 3 milhões

O Trauminha de João Pessoa ficou nacionalmente conhecido na gestão do prefeito Luciano Cartaxo, após sucessivas denúncias e inspeções constantes do CRM que constatavam “superlotação, falta de equipamentos, escassez no fornecimento de roupa de cama e vestuário para profissionais e pacientes, falta de medicamentos, equipamentos danificados e precarização na manutenção do prédio”. Esse foi o tratamento que o prefeito Luciano Cartaxo, em duas gestões, dispensou ao Complexo Hospitalar de Mangabeira – que leva o nome do ex-governador Tarcísio Burity, o maior benfeitor da cidade de João Pessoa – , o Trauminha.

Pois bem, faltando poucos dias para o prefeito desocupar (não confundir com depenar) as dependências do gabinete mais cobiçado do Paço Municipal, ele resolveu, ao lado do secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, com quem travou diversos diálogos suspeitíssimos em áudios que circularam nas redes sociais e que devem estar sendo investigado no âmbito judicial, para assinar uma Ordem de Serviço para promover reforma e melhorias naquele núcleo hospitalar, no valor de R$2.800.000,00. É ou não é uma piada?

Durante oito anos o prefeito não deu a atenção devida e merecida ao Trauminha, virando as costas para a angústia e sofrimento das pessoas carentes necessitadas de atendimento, e agora, ao apagar das luzes, convoca a imprensa, com o maior cinismo, para demonstrar sensibilidade aos problemas do hospital, como se ninguém soubesse qual a real motivação para a assinatura nas coxas dessa Ordem de Serviço.

É bom que o prefeito eleito Cícero Lucena, através de sua assessoria jurídica, procure tomar medidas de caráter emergencial para conter esse tipo de conduta do prefeito com o propósito, também, de criar embaraços para a futura administração e até promover uma sangria nos cofres públicos de forma disfarçada. (MOMENTOPB)