Ricardo usa dinheiro público para atacar a Operação Calvário

Absolutamente  estarrecedor a informação que o PSB de Ricardo Coutinho vem utilizando verbas do fundo partidário para desenvolver uma campanha de ataque as instituições que integram a força tarefa que desvendou os crimes praticados pelo socialista quando governador da Paraíba. Gaeco, Ministério Público Federal, Polícia Federal e Poder Judiciário estão na mira dessa campanha de trituração do que foi investigado e denunciado pela Operação Calvário.

Mesmo no banco dos réus, Ricardo não se intimida e ataca a Calvário

Gráficas estariam trabalhando  a todo vapor para confeccionar panfletos contando uma versão distorcida e fantasiosa da apuração do caso apresentando um Ricardo vítima de perseguição e injustiça desmerecendo todo arsenal de provas recolhidas pelas investigações criteriosas realizadas pelos órgãos que desmontaram a quadrilha comandada pelo ex–governador.

Ricardo teria recebido algo em torno de R$ 3 milhões do Fundo partidário e com esse volume significativo empreendendo uma cruzada para se eleger de novo prefeito da capital recorrendo a artifícios como descontruir as investigações que o levaram para a cela e ao descrédito político refletido na enorme rejeição que seu nome provoca no eleitor.

Aos pouco Ricardo foi se afastando do epicentro do furação que devastou sua imagem desde quando conseguiu se livrar da cadeia até o instante que retirou a tornozeleira. Nesse espaço de tempo recuperou o folego e agora parte para dar sua versão atrofiada dos fatos, desmoralizando as investigações e acusando seus carrascos de urdirem uma trama para desgastá-lo politicamente.

Toda essa manobra de desvirtuamento das investigações acontecendo tranquilamente sob o olhar complacente das autoridades ofendidas pela milionária campanha do PSB, inclusive a nível nacional onde espaço de credibilidade contam a versão do ex-governador proclamando inocência e perseguição.