Ricardo Coutinho recorre ao Supremo contra inelegibilidade

Advogados do petista Ricardo Coutinho, considerado inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral, recorreram ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão do TSE. O candidato ao Senado foi acusado de abuso de poder político e econômico nas eleições de 2014. O recurso ainda não foi distribuído para relatoria.

O candidato continua normalmente a sua propaganda política, desmentindo, inclusive, estar inelegível. O TSE já havia condenado Ricardo Coutinho em 2020 à pena de inelegibilidade por oito anos também por abuso do poder político, com viés econômico, pelo pagamento de valores retroativos de aposentadorias e pensões pelo PBPrev durante o período eleitoral de 2014 no primeiro e no segundo turnos. Esse período começou a contar em 5 de outubro daquele ano e termina em 5 de outubro deste ano, ou seja, três dias após o primeiro turno.

Da redação