Revelando Campeões: socioeducando do CSE realiza teste de atletismo na UFPB

A Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida” (Fundac), por meio do projeto Revelando Campeões, materializou o desejo de um socioeducando de voltar às pistas de atletismo e levou-o para teste na Universidade Federal da Paraíba. A ação, uma iniciativa da direção do Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE) junto ao setor de Esporte, Cultura e Lazer da Fundac, aconteceu nessa quinta-feira (02) e contou com o suporte profissional de Pedro de Almeida Pereira, técnico de atletismo na universidade – inclusive do atleta paralímpico Petrucio Ferreira –, que se encarregou de avaliar as habilidades físicas do socioeducando.

“Eu tento sempre dar o máximo de mim, para que as pessoas vejam o meu lado bom. Eu quero me prender nesse meu desejo. Eu gosto de atividade física e quero levar isso para a minha vida. Eu gosto muito de correr, em 2014 eu tentei uma oportunidade, e agora estou tentando novamente com a ajuda da Fundac. Espero que dê certo!”, disse o adolescente C.R.G, durante a avaliação física.

Pensando no esporte como educação e avaliando o biotipo do adolescente, Pedro de Almeida avaliou as habilidades que o adolescente poderá desenvolver dentro do atletismo e sinalizou o salto em altura como modalidade que, inicialmente, trabalharia com ele. Mas o que ele vislumbra tecnicamente só terá sentido mesmo na prática. “Esse é o primeiro contato de muitos e nossa missão é dar perspectiva e mostrar caminhos. Trabalhamos com metas, buscamos em cada um o que ele tem de melhor e traçamos um objetivo”, pontuou o técnico.

“Ele sairá daqui hoje sabendo que será muito bem acolhido e que as portas estão abertas para que possa mostrar o que dá para fazer, dentro da perspectiva de suas habilidades. Nosso objetivo é possibilitar caminhos que ele se identifique e buscar meios para que possa seguir adiante. Aqui é um espaço pedagógico e nossa missão é fomentar esse desejo dele”, concluiu Pedro de Almeida.

De acordo com Waldir Victor, diretor do CSE, o Plano Individual de Atendimento (PIA) orienta e sistematiza o trabalho desenvolvido pela equipe multidisciplinar, responsável pela execução da medida socioeducativa de internação e serviço de acolhimento, portanto sua obrigatoriedade está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). “Desta forma, a Fundac tem o desafio de materializar as metas e objetivos pactuados no Plano”, enfatizou.

O diretor do CSE relatou que, neste caso em particular, o adolescente tinha como sonho ingressar no atletismo e seguir carreira. “Então abraçamos esse sonho e fomos atrás de parceiros para realizá-lo. Foi então que localizamos o técnico Pedrinho, um grande profissional na área do atletismo e assim, com apoio do eixo Esporte, Cultura e Lazer da Fundac, conseguimos inseri-lo nesse teste que com certeza será um divisor de águas em sua vida, dentro e fora dos muros da unidade”, ressaltou.

Nilton Santos, coordenador de Esporte, Cultura e Lazer da Fundac, acredita que o esporte, no contexto da socioeducação, tem a capacidade de despertar sonhos e construir uma nova possibilidade de vida para os socioeducandos. “Quando o trabalho educativo é feito a várias mãos, o resultado será sempre positivo, permitindo ao indivíduo em privação de liberdade descortinar novos horizontes”, comentou.

A avaliação de C.R.G foi acompanhada pela direção do CSE (Waldir Victor e Renaly Amaral), coordenação de Esporte, Cultura e Lazer (Nilton Santos e Orlando Macena), coordenação de Segurança (capitão Jamerson Abílio, Daniel de Oliveira e agentes socioeducativos), além do técnico de atletismo Pedro de Almeida e da coordenação de Comunicação da Fundac (Marcela Gabínio).