Reportagem do Fantástico pode apressar retorno de Ricardo e gang às celas dos presídios de onde saíram em fuzaca sábado passado

São definitivas as provas apresentadas pelo Fantástico da Rede Globo neste domingo onde um Daniel Gomes incisivo afirma ser Ricardo Coutinho incontestavelmente o líder da organização criminosa que desviou algo em torno de R$ 134 milhões dos combalidos cofres do estado.

Não apenas a delação do representante da Cruz Vermelha compromete o ex-governador como também as provas levantadas pelas investigações, de forma minuciosa e criteriosa, como enfatizam os procuradores, dirime qualquer dúvida quanto a liderança do ex-governador no esquema criminoso.

De forma devastadora e já prevendo um futuro turbulento e ameaçador Daniel fazia uso de gravadores para registrar as conversas com Ricardo desde os idos de 2010, quando foram apresentados e iniciaram o esquema de pilhagem dos recursos da Saúde.

Daniel enfático: Inquestionavelmente, Ricardo é o líder da organização

Não apenas Daniel, mas também Livânia deram depoimentos avassaladores contra Ricardo Coutinho confirmando ser ele o líder maior do esquema criminoso, e os vídeos e os áudios, mostrando o ex-governador a frente das negociações, são contundentes e devastadoras.

A reportagem do Fantástico robusteceu os fatos já determinantes para a prisão de Ricardo e mais 16 comparsas, e , de forma indireta potencializa a imoralidade promovida pelo ministro do STJ, Napoleão Maia, um veterano personagem de histórias sombrias, que envolveriam a venda de sentenças, desde quando atuava no Judiciário de sua terra natal, o Ceará.

Livânia não aliviou para Ricardo e disse que entregou quase 2 milhões em dinheiro diretamente ao chefe

Já há uma movimentação dentro do próprio STJ para reverter a sentença de Napoleão Maia diante do constrangimento que teria provocado aos pares e do desgaste à imagem do Tribunal.

A concessão dos Habeas Corpus gerou um estarrecimento na opinião pública nacional e os seus efeitos repercutiram no país, produzindo uma onda de indignação e perplexidade diante de tanta desfaçatez jurídica.

Maurício Ferraz, repórter do Fantástico, esteve em JP

O ministro que libertou Ricardo e sua gang já tem um passado de estripulias e já estaria sendo investigado pela Lava-Jato por envolvimento suspeitíssimo com organizações criminosas, beneficiadas por sentenças tão estapafúrdias como a que produziu no caso dos acusados na Operação Calvário.

Nos meios jurídicos conta-se como certo o retorno às celas dos beneficiados pela imoralidade concebida pelo ministro Napoleão Maia, e a PGR já se manifestou pela reversão dos habeas corpus ainda no sábado à noite.