Região do Vale do Mamanguape tem mais de 90% dos indígenas potiguaras vacinados contra o novo coronavírus

Mais de 90% dos indígenas na região do Vale do Mamanguape, no Litoral Norte da Paraíba, já receberam a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. O levantamento foi divulgado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), por meio do Grupo de Estudos em Educação, Etnias e Economia Solidária (GEPeeeS), vinculado ao Centro de Ciências Aplicadas e Educação (CCAE).

O relatório elaborado no mês de abril pelo grupo, sob coordenação do professor e pesquisador Paulo Palhano, demonstra ritmo crescente na vacinação dos Indígenas Potiguaras que estão localizados na região do Litoral Norte. A cidade de Rio Tinto contabilizou 2.470 indígenas (90,6%) – acima de 18 anos – que já foram vacinados com a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Já a segunda dose foi aplicada para 87,8% do público-alvo.

No município de Marcação, de 4.086 pessoas acima de 18 anos, 90,7% já foram vacinados com a primeira dose e 89,2% tomaram a segunda dose.

Em Baía da Traição, de 3.288 indígenas maiores de 18 anos, 91,5% foram vacinados com a primeira dose e um total de 85,9% recebeu a segunda dose da vacina contra o Sars-CoV-2.

“A população potiguara que foi vacinada é bastante expressiva, mas requer ações de busca ativa visando identificar os que faltam serem imunizados”, salientou Prof. Palhano. O povo potiguara está localizado em aldeamentos nos municípios de Baía da Traição, Marcação e Rio Tinto, no estado da Paraíba.

Por meio de dados apresentados pelo Governo Federal Brasileiro, o relatório apontou que, no mês de abril, houve quatro mortes de indígenas da etnia potiguara. Desde o início da pandemia, foram registrados 825 casos confirmados com a infecção da Covid-19. Outro dado expressivo apresentado é que 820 indígenas potiguaras estão em “cura clínica”, ou seja, quando não há mais sintomas da doença.

 

“O quantitativo de indígenas vacinados, tanto das etnias Potiguara como Tabajara, é significativo, mas há ainda um conjunto dessas etnias carentes da imunização”, apontou Prof. Paulo Palhano.

No Vale do Mamanguape, o processo de vacinação das populações étnicas é realizado pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), que conta com um total de 40 agentes de saúde.

Desde o início da pandemia, pesquisadores e estudantes vinculados à UFPB realizam ações nas entradas de acesso às aldeias com a montagem de barreiras educativas e sanitárias.

Conforme os dados da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), em 2021, a Paraíba registra um total de 99.844 Potiguaras acima de 18 anos.

Dados da vacinação de indígenas na Paraíba

De acordo com o painel de vacinação da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), até o dia 19 de maio, foram entregues 9.918 vacinas para os povos indígenas da região do Vale do Mamanguape.

Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela própria Secretaria de Estado da Saúde (SES), no dia 8 de maio deste ano o índice de letalidade dos indígenas na Paraíba era de 0,8%.

* * *
Reportagem: Carlos Germano
Edição: Aline Lins
Fonte: Ministério da Saúde do Brasil, maio de 2021, acesso: https://saudeindigena.saude.gov.br/corona
Foto: Oriel Farias