Planejamento e inteligência devolveram a paz ao sertão: Catolé do Rocha há 50 dias não registra um homicídio

Quase dois meses depois, exatos 50 dias de uma bem planejada ação de segurança coordenada e comandada de perto pelo Secretário da pasta, delegado de carreira Jean Nunes, a normalidade retornou a região polarizada por Catolé do Rocha, onde as ocorrências policiais haviam fugido ao controle com mortes, assaltos e outras modalidades de crimes, apavorando a população, exposta aos conflitos violentos pelo controle do tráfico.

Planejamento inteligente e ações articuladas devolveram a paz a Catolé

Depois de enviar uma força-tarefa composta das forças policiais, militar e civil, inclusive com a colaboração dos efetivos dos estados vizinhos, além do Ministério Público, a situação foi sendo revertida e, 50 dias depois já se pode comemorar o êxito das ações empregadas para devolver a paz e a tranquilidade à população.

O que se passou em Catolé serve de exemplo para a Segurança Pública do estado por muito tempo vivendo as custas de pirotecnia e espalhafato que serviam apenas para maquiar dados estatisticamente manipulados, e incensar figuras como o ex-governador, ele próprio uma ameaça a segurança como provaram depois as investigações procedidas pelo Gaeco.

Obedecendo ao estilo discreto, mas eficiente do secretário Jean Nunes, os resultados foram aparecendo como comprova a matéria enviada pela assessoria da pasta, relatando as ações empreendidas, que resultaram em prisões e apreensões que terminaram por reprimir a violência.

Como resultado da inteligência planejada a cidade de Catolé do Rocha, no sertão da Paraíba, está há mais de 50 dias sem a ocorrência de crimes contra a vida. De acordo com a Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds), os últimos assassinatos registrados na região aconteceram em 20 de junho deste ano. Um dia depois, uma força-tarefa da Polícia Civil foi enviada ao município e o policiamento da Polícia Militar também reforçado.

Com o trabalho integrado desses dois órgãos operativos, e com apoio do Corpo de Bombeiros Militar, ações de repressão e prevenção qualificadas somam oito prisões de pessoas envolvidas em homicídios na região. Dez armas foram apreendidas e mais de 20 mandados de busca e de prisão foram cumpridos.