Paraibanos aguardam, em clima de expectativa, a decisão do presidente do STF sobre se deixa solto ou manda prender Ricardo e sua gang

Como nos últimos dias, o clima na Paraíba permanece tenso e aumentou mais ainda com a movimentação do recurso impetrado pela PGR agora encaminhado para apreciação do presidente do STF, Dias Toffoli, que tem nas mãos corrigir ou confirmar a polêmica liminar deferida pelo ministro Napoleão Maia.

Movimentação processual causa estranheza pela celeridade

Na tarde desta quinta-feira (2) a trajetória do processo foi acompanhada de enorme expectativa e em clima de futebol, com as torcidas se manifestando e apostando prol e contra o que será decidido pelo presidente do STF, Dias Toffoli, com ligeiro favoritismo para aquela que acredita na força das manipulações de bastidores e na parcialidade inescrupulosa que Justiça alcançou no país nos último tempos, com decisões estapafúrdias como a tomada pelo ministro Napoleão Maia.

Movimentação foi acompanhada com interesse incomum

Para a maioria, a celeridade do processo dentro do recesso judiciário sinalizaria para mais uma manobra da defesa apostando na venalidade da Justiça, capaz de decisões que arrepiam os pelos do próprio diabo como a que resultou na liminar que colocou em liberdade o chefe maior da quadrilha girassol e parte de seus integrantes.

Os mais descrentes, na idoneidade jurídica dos tribunais, acreditam que os conchavos de bastidores aceleraram a movimentação do processo e ele chegou ao presidente do STF antes que a ministra Laurita Vaz, considerada durona, chamasse o feito a ordem na próxima segunda-feira e revogasse as liminares – deferidas pelo escandaloso Napoleão “Leva Parte” como é conhecido nos meios jurídicos, o cearense de Juazeiro – devolvendo para o aconchego dos presídios, os presos pela Operação Calvário.

Laurita não endossa o que Napoleão assina

Já a outra parcela da torcida, de pé na arquibancada, acredita que o presidente do STF, não terá a mesma disposição de Napoleão para encharcar sua toga na lama do escandaloso episódio revelado pelas investigações, onde um descarado chefe de quadrilha comemora o décimo terceiro proveniente do dinheiro desviado da Saúde do Estado.

Paraibanos aguardam em clima de arquibancada decisão do STF sobre quadrilha girassol

De toda forma, os paraibanos aguardam com ansiedade e expectativa o que será decidido pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, onde e quando poderá mandar de volta para o presidido o delinquente mais perigoso do grupo e sua guarda pretoriana.

Ou, na pior das hipóteses, como acredita  a maioria, deixar que continuem soltos, agentes públicos que assaltaram de forma descarada e vergonhosa, os cofres públicos, o que seria mais um ultraje a rigor da Justiça brasileira à moralidade.