Molecagens adiam mais uma vez a eleição indireta de Bayeux; depois de fechar o prédio presidente da Câmara diz que não foi notificado

Mais uma molecagem dos moleques que comandam a política de Bayeux e a eleição indireta determinada pela Justiça não deve ocorrer hoje como foi divulgado na imprensa. Recorrendo a ardis que insultam a autoridade judiciária, esse bando que constitui o poder legislativo de Bayeux resolveu desmoralizar o judiciário com as alegações mais cretinas de que, a Câmara não foi notificada e para isso contou com a participação decisiva do prefeito e do presidente que fecharam o prédio para evitar a notificação.

Abusando de ardis, vereadores peitam a Justiça

Ou a Justiça se impõe e manda prender um moleque desses ou fica desmoralizada diante da opinião pública pela complacência com essa corja de vadios. Uma alegação cretina como a que está dando a presidência da Casa, não justifica o adiamento do pleito, mais uma vez, sob pena da plena desmoralização do Judiciário.

Depois de muitas escaramuças, Justiça determina para esta segunda (17) a realização das eleições indiretas em Bayeux

Pelo visto terá um desfecho nesta segunda-feira (17) a novela das eleições indiretas na cidade de Bayeux. Depois de uma gangorra de decisões judiciais, que atrasou o pleito e o prazo de 30 dias estabelecido pelo estatuto da Câmara Municipal, reiteradas vezes manipulado para atender interesses escusos, que se escondem pelos subterrâneos da política de Bayeux, afinal, serão escolhidos o prefeito e o vice desta versão canhestra de Sucupira.

Bayeux é uma miniatura do cenário degradante da política nacional e nela, todos os vícios que caracterizam os políticos brasileiros se manifestam interpretados pelos pequenos personagens desta cidade estabelecida à beira dos mangues.

Seus personagens políticos são de uma inexpressividade que estarrece e as alcunhas que os distinguem escondem trajetórias do passado que não enaltecem ninguém. Alguns lembram pilotos de fama do passado cuja habilidade nas pistas o imortalizaram no esporte, mas que na cidade de Bayeux foram reduzidos a pilantras que costumam fraudar documentos públicos.

Outros, pelo desempenho nas pranchas, ganharam o apelido de surfista e certas preferências alcançaram destaque anunciadas de forma escandalosa em vídeos e áudios que fazem a festa da maledicência da cidade.

Quase todos de uma forma ou de outra se equivalem moralmente e será essa malta que vai escolher indiretamente o novo prefeito e o vice numa eleição que se presume uma bandalheira antecipada pelos ingredientes deteriorados que compõem esse colégio eleitoral. (Jampanews)

Após decisão da Justiça, eleições indiretas para prefeito e vice de Bayeux devem ocorrer hoje (17)

As eleições indiretas para escolha de prefeito e vice terão de ser realizadas pela Câmara Municipal de Bayeux nesta segunda-feira (17). Isso porque foi determinado, após decisão proferida no sábado (15) pelo desembargador Frederico Coutinho, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), o cumprimento da decisão para realizar o pleito de forma imediata.

O desembargador Frederico Coutinho atendeu o pedido de reconsideração impetrado pelo vereador Adriano Martins (MDB), contra decisão da desembargadora Maria das Graças Morais Guedes, que suspendeu na última quarta-feira (12), as eleições indiretas para Prefeitura de Bayeux.

A decisão da desembargadora foi proferida após analisar agravo de instrumento protocolado pela vereadora Lucília Freitas. Maria das Graças havia determinado novas eleições, mas só após a publicação de novo edital que corrigisse as falhas do antigo.

O presidente da Casa, Inaldo Andrade, com a decisão de Frederico Coutinho, terá que promover a eleição de imediato, já nesta segunda-feira (17). Isso para que seja cumprido, mesmo com atraso, o prazo de 30 dias previsto na Lei Orgânica do Município para a realização da eleição em caso de vacância nos cargos de prefeito e vice.

O cargo está vago desde o dia 14 de julho, quando o então prefeito afastado Berg Lima (PL) protocolou pedido de renúncia do cargo de prefeito. Ele era alvo de pedidos e cassação de mandato na Câmara. O atual presidente da Câmara, Jefferson Kita (Cidadania), vem comandando interinamente o município desde então.