Moacir Rodrigues apoia a abertura do comércio com o cumprimento dos protocolos da Covid 19

O deputado Moacir Rodrigues manifestou a sua solidariedade ao setor do comércio e indústria da Paraíba, em razão da crise que o setor tem passado em consequência da Covid 19. Ele ressalta que concorda com as posições dos comerciantes e demais setores da economia, salientando que defende os posicionamentos, desde que sejam adotados e cumpridos todos os protocolos para a prevenção da Covid. “Tem todo o meu apoio e solidariedade com o uso dos protocolos devidos, por ser uma questão de justiça e de sobrevivência de milhares de pessoas, além de garantir a saúde para a população”, destaca Moacir.

Ele faz questão de difundir na íntegra a NOTA PÚBLICA do movimento lojista paraibano, liderado pela FEDERAÇÃO DAS CÂMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS DO ESTADO DA PARAÍBA e integrado pelas CÂMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS, que “já não mais suporta medidas restritivas que desembocam no fechamento da atividade empresarial de seus associados. ESTAMOS NO LIMITE!”

Os comerciantes ressaltam que “não aceitamos o discurso de que pensamos apenas em nosso bolso, esse discurso é demagogo e genérico. LUTAMOS PELA VIDA! Ela é e continuará sendo o nosso maior bem. Contudo vivemos em uma cadeia produtiva, onde o comércio fechado repercute diretamente em desemprego e na diminuição do consumo e no enfraquecimento da economia.

Não há DICOTOMIA entre ECONOMIA e SAÚDE! Elas caminham juntas e têm de caminhar juntas, de modo que o que defendemos é o direito de funcionar mediante o cumprimento dos protocolos de biossegurança, respeitando as vidas e defendendo o sagrado direito da nossa subsistência e de nossos colaboradores, pois não se sabe quando esta pandemia irá acabar não sendo razoável cogitar que a qualquer momento poderemos fechar novamente. Precisamos de ajuda, de apoio e de uma política econômica que deem condições das empresas sobreviverem como um organismo vivo que de fato é.

É um contrassenso fechar o comércio paraibano, inclusive com proibição de vendas por delivery, quando empresas de outros estados estão vendendo aqui na Paraíba através do E-commerce, com perda direta na arrecadação e afetando os postos de trabalho aqui estabelecidos. Outro absurdo é proibir um comerciante pequeno e médio (que representa 90% dos empresários paraibanos) de abrir, mas possibilitar que as grandes redes de supermercados (multivarejo) e de drugstores comercializem os mesmos produtos que aqueles estão proibidos de vender. Ora, a PROBIÇÃO NÃO PODE SER SELETIVA! Ou todos estão proibidos de vender ou todos estão autorizados a vender.

As aglomerações não ocorrem no interior dos estabelecimentos comerciais, os quais são controlados por rígido protocolo de segurança sanitária e que, até antes das últimas eleições municipais, foram suficientes para manter o contágio do COVID-19 controlado. Aliás, a lógica que deveria ser adotada não era de fechar o comércio, mas sim o de AMPLIAR O HORÁRIO de atendimento, como determinado pelo MINISTRO BARROSO ao estender o horário de votação nas últimas eleições.
O Estado tem de olhar para a classe empresarial nesse momento, criando possibilidades de manutenção dos empregados que estão presentes nesta cadeia produtiva e que são necessárias à manutenção de diversas famílias.

O que esperamos é poder trabalhar, é poder produzir e gerar empregos na Paraíba sem abdicar da nossa saúde, da saúde dos consumidores e de nossos colaboradores.

SIM À VIDA!
SIM AO TRABALHO COM PROTOCOLOS!
NÃO AO LOCKDOWN!
João Pessoa, 02 de abril de 2021”