Médico reputado e com 44 anos de profissão diz que a capacidade hospitalar do estado foi esgotada e recomenda rigoroso isolamento social

O depoimento aterrador, sincero e antes de tudo abalizado do reputado médico paraibano, Ítalo Kumamoto, chamando atenção para o iminente colapso da rede hospitalar, pública e privada, como consequência da pandemia, termina por enterrar de vez os opositores do isolamento social.

Numa explanação emocionada, onde apela por caridade, o famoso médico paraibano, dono de uma enorme clientela com a qual estabeleceu vínculos de amizade, afirma que a estrutura hospitalar do estado alcançou seu limite máximo e que, caso a curva não venha ser achatada as consequências serão terríveis.

O doutor Ítalo Kumamoto diz textualmente que a única forma eficaz de se prevenir contra a doença é o isolamento social “é ficando em casa” recomenda em tom dramático. Com 44 anos de profissão, Doutor Ítalo afirma que a doença é grave e mata.

O depoimento do consagrado médico é uma pá de terra nas aves agourentas que estimulam o desrespeito ao isolamento social em nome da economia e principalmente do lucro de certos aventureiros, arriscando o dinheiro torpe, que amealharam, em setores como a Construção Civil.

Esses corvos, aliados a oportunista irresponsáveis, munidos de mandatos eletivos, não se arriscam ao contágio, mas estimulam os mais necessitados expor a saúde em troca de salários, alegando defenderem a economia.

Alguns são tão estúpidos que forjam vídeos onde mostram leitos supostamente desocupados para dizer que não existe o risco do colapso da rede hospitalar.

Agora vem o doutor Ítalo, do alto de sua idoneidade humana e profissional, mostrar o quanto são criminosos e irresponsáveis esses arautos da tragédia, afirmando que o colapso é iminente, caso o isolamento não seja obedecido.

As autoridades sanitárias estão enfrentando uma luta abjeta, sórdida, nos bastidores, onde a mesquinharia e a estupidez ditam as regras, e leitos são retidos, respiradores confiscados, em nome de uma política que prega a eugenia como solução para redução de gastos, explicita nas longas filas que se formam diante das agências da Caixa para receber a miséria do Auxilio Social provavelmente o responsável pela aceleração do contágio.

É de se perguntar: atende a quais interesses a retenção de leitos e respiradouros.